Real Madrid volta a levar a melhor e conquista Supertaça espanhola

O Real Madrid venceu esta quarta-feira o Barcelona por 2-0 na segunda mão da Supertaça espanhola. A equipa merengue, que já tinha vencido os catalães na primeira mão por 3-1, conquista assim a sua décima Supertaça e começa a época da melhor da maneira depois de também ter conquistado a Supertaça europeia.

Com o Real Madrid sem Cristiano Ronaldo e o Barcelona com André Gomes a titular, o conjunto de Zidane tinha a oportunidade de suceder precisamente ao Barcelona como detentor do troféu.

O Real Madrid entrou a esmagar por completo o Barcelona. Primeira oportunidade surge logo aos 2′ minutos, com o remate de Modric que levava a direção da baliza mas que foi travado pelas costas de Umtiti. Um minuto depois e com o Barcelona completamente encostado às cordas, que golaço de Asensio. Talento puro deste menino que remata a uns bons 30 metros da baliza, com Ter Stegen colado ao chão. Um golo estrondoso do jovem de 21 anos, a repetir a proeza da primeira mão, em Camp Nou. Que início fulgurante do Real.

Demorou algum tempo até o Barcelona conseguir reagir ao golo do adversário. Ao quarto de hora de jogo, a primeira oportunidade surge nos pés de Messi que, ao tentar fintar Navas, deixa escapar a bola. Com o Real sempre com alguma superioridade, o Barça lá ia tentado chegar com perigo à baliza de Navas. No entanto, as oportunidades mais perigosas surgiam todas do lado dos pupilos de Zidane. À meia-hora, bola no poste de Lucas Vásquez que quase resultava no segundo golo dos merengues. Ora, o segundo não tardava a chegar. 39′ minutos jogados, golo de Karim Benzema. Bola colocada na área por Marcelo, Benzema antecipa-se a Umtiti que, já sem o defesa pela frente, fuzila Ter Stegen.

As equipas regressaram do intervalo sem qualquer alterações. Com o 2-0 no marcador, 5-1 agregado, era praticamente impossível para o Barcelona virar este resultado.

Com Nélson Semedo já em campo, Messi quase conseguia reduzir a vantagem do Real, com o seu remate a bater na barra. A última meia-hora de jogo pertenceu por completo ao Barcelona que teve por inúmeras vezes a hipótese de facturar. Aos 71′ minutos, bola a bater novamente no ferro da baliza de Navas. Remate de Messi para boa defesa de Navas e, na recarga, Suárez cabeceia ao poste. Era essencialmente por Suárez que a equipa tentava chegar ao golo, mas também era exatamente pelo uruguaio que os catalães desperdiçavam mais oportunidades. O jogo foi morrendo. O Real ia gerindo o jogo a seu belo prazer e o Barcelona já se mostrava conformado com o resultado.

O Real Madrid, superior à equipa de Valverde nos dois jogos, entra da melhor maneira na época 2017/2018 e mostra que, sem Ronaldo, também é capaz de apresentar um excelente futebol.

Ricardo Oliveira

Oriundo da mesma terra do melhor jogador do mundo, a paixão pelo futebol não podia ser maior. Licenciado em Ciências da Comunicação na FCSH, gosta de escrever e está sempre de braços abertos a novos projetos.

Deixe uma resposta