Verbas astronómicas numa Liga ao alcance dos clubes “milionários”

A realidade do futebol europeu está cada vez mais, ao alcande de poucos clubes. Nos últimos anos, os clubes ricos, estão cada vez mais ricos e os clubes pobres, cada vez mais pobres. O que pode fazer um clube com menos recursos financeiros,  na liga dos campeões? Na verdade….NADA !! As estatísticas falam por si.

Analisemos então esta imagem:

Se analisarmos de 1956 até 1999 conseguimos perceber que, o Real Madrid domina de 56 a 60, com um plantel de luxo, com nomes sonantes como Di Stéfano, Ferenc Puskás, Canário, Ángel Atienza…entre outros !! 

https://www.youtube.com/watch?v=3v8fI6not7A

 

Depois destes anos vitoriosos, o Real Madrid, volta a ganhar uma Champions em 1966. Os madrilenos fizeram um jejum de glória e só voltam a erguer a taça em 1998. Entre os anos 1960 e 1966, o SL Benfica venceu duas vezes consecutivas, o AC Milan vence uma final, os rivais do Inter de Milão erguem a taça duas vezes seguidas e o Real, torna a conhecer o sabor da vitória, contra o Partizan.

Com a entrada na década de 70, temos inumeras equipas a vencer a Liga dos Campeões. Celtic de Glasgow (Escócia), Manchester United (Inglaterra), AC Milan (Itália), Feyenoord (Holanda), Ajax (Holanda), Bayern Munique (Alemanha), Liverpool (Inglaterra), Nottinghan Forest (Inglaterra), Aston Villa (Inglaterra), Hamburgo (Alemanha), Juventus (Itália), Steaua Bucareste (Roménia), FC Porto (Portugal), PSV (Holanda), Estrela Vermelha de Belgrado (Sérvia), Barcelona (Espanha), Marselha (França), Borussia Dortmund (Alemanha). Com isto temos 18 equipas a ganhar a Liga dos Campeões com especial equilíbrio entre os emblemas holandeses, alemães e italianos. Estes dados mostram-nos que a diferença não era tão acentuada entre os campeões de vários campeonatos, os investimentos não eram tão elevados. Obviamente que, tínhamos os clubes com mais hipóteses financeiras mas em contrapartida, as equipas “pequenas”, batiam-se bem e orgulhosamente levantavam a taça no final.

Agora vamos foque-mo-nos a partir do ano de 1998 até aos dias de hoje.

O Real Madrid vence em 98 contra a Juventus, sendo que, o investimento dos espanhóis foi de 21,50 Milhões e o da Juventus menos de metade (10,40 Milhões).

Manchester United vence em 1999 contra o Bayern Munique, com o investimento dos ingleses (44,25Milhões) a ultrapassar em larga escala, o dos bávaros que não chegavam aos 8 Milhões.

O Real Madrid repete a “graça” e volta a vencer em 2000, batendo na final, os compatriotas do Valência por três bolas sem resposta. Nesta época o Real Madrid investe 72,10 Milhões e o Valência fica-se pelos 17,10 Milhões.

Seguimos para a época 2000/2001, com a final da liga dos campões a ser disputada pelo Bayern Munique eos repetentes do Valência. Os alemães desembolsaram 10 Milhões, já o espanhóis, abriram os cordões à bolsa e foram mais gastadores com 51,05 Milhões.

Na temporada seguinte, o Real vence o Bayer Leverkusen por 2-1. Os espanhóis despendem 73,50 Milhões num só jogador e actual treinador dos madrilenos, Zidane ! O Bayer Leverkusen, uns modestos 12 Milhões.

Em 2002/2003, temos uma final Italiana, AC Milan contra Juventus, decidida pelos pontapés de grande penalidade, ganha o emblema de Milão. AC Milan coloca a fasquia num investimento de 71,70 Milhões e a “Juve”, em 37 Milhões.

Decorria  aépoca de 2003/2004 quando o inesperado surge e “A Portuguesa” fez-se soar com o FC Porto, a conquistar o ceptro. Os portugueses fazem abanar as redes por três vezes, sem resposta. O emblema da cidade invicta recaía nos 10,50 Milhões e os monegascos, nuns modestos 3,20 Milhões. Provavelmente os clubes com o orçamento mais baixo da Liga dos Campeões, da presente época.

https://www.youtube.com/watch?v=Bxf5o1XohHc

Istambul 2004/2005 uma final digna de Liga dos Campeões, defrontavam-se Liverpool vs AC Milan. Os italianos fecham os primeiros 45′ a vencerem por 3-0 mas o intervalo foi positivo para os ingleses que, recuperam a desvantagem e fecham os 90′ com um empate a três bolas. Na cobrança dos pontapés de penalti, o Liverpool leva a melhor e levanta a taça. Nessa época, o Liverpool investiu 58,40 Milhões e o AC Milan 11 Milhões.

Barcelona e Arsenal medem forças em 2005/2006, com o Barcelona a levar a melhor e a ganhar 2-1. Esta época o Barcelona não investe um único cêntimo, a sua equipa, vai buscar 2 jogadores a custo zero, já o Arsenal, faz um Investimento de 46 Milhões.

O Milan vinga-se do Liverpool na final de 2006/2007, vencendo a equipa inglesa por 2-1, num jogo bem disputado. Milan abre os cordões e gasta 11 Milhões, o Liverpool é um pouco mais atrevido e gasta 46 Milhões.

Uma final muito chuvosa em 2007/2008, Moscovo recebia o Manchester United de CR7 contra o Chelsea de José Mourinho, neste duelo, Ronaldo leva a melhor e vence nas penalidade. A equipa de Manchester tem um investimento estrondoso de 103,50 Milhões e José Mourinho gasta 59 Milhões

https://www.youtube.com/watch?v=juyJiLtSbvg

Decorria a época de 2008/2009 e um Barcelona fortíssimo, com um investimento de 96 Milhões, vence um Manchester United com metade do investimento dos catalães (45,25 Milhões). A taça sorri a “nuestros hermanos” que vencem os ingleses por 2-0.

Mourinho mais uma vez na final da Champions (2009/2010), um super Inter de Milão que nas meias finais, dá uma lição ao Barcelona na arte de bem defender, defronta um Bayern de Munique muito forte. O derradeiro jogo acontecia no Santiago Barnabéu repleto que, via o português levantar a taça ao vencer 2-0. O Inter que nessa época, investe 96 Milhões e o Bayern 74,70 Milhões.

https://www.youtube.com/watch?v=ysbImyowZ6s

Em 2010/2011 é uma reedição da final de 2008/2009, Barcelona vs Manchester United, mais uma vez, o Barcelona leva a melhor e levanta a taça, 3-1 foi o resultado. O Barcelona investe 72,50 Milhões e o United 29,30 Milhões

André Vilas-Boas, mais um português a vencer a liga dos campeões, o Chelsea vence o Bayern Munique nas grande penalidades. Vilas-Boas gasta 96,45 Milhões e o Bayern 52,10 Milhões.

Uma final germânica, frente a frente Bayern Munique e Borussia Dortmund. Os adeptos do Dortmund sonhavam com a segunda champions, depois de verem a sua equipa eliminar nas meias finais o Real Madrid, só faltava a equipa rival, mas isso não aconteceu, resultado final 2-1 a favor da equipa de Munique. O Dortmund gasta 26,65 Milhões e o Bayern 70,30 Milhões.

https://www.youtube.com/watch?v=jdHvzZwbJrc

Chegámos à época de 2013/2014 e o Real Madrid vem a Lisboa golear o Atlético Madrid por 4-1. O Real que nesta época investe 175 Milhões e o Atlético uns modestos 36 Milhões. Dora avante, segue-se um feudo espanhol, na época 2014/2015 com uma final entre Barcelona vs Juventus, ganha pelo Barcelona (3-1), o Barcelona que gasta qualquer coisa como 166,72 Milhões e a Juventus uns 52,45 Milhões. Mas a saga continua por terras espanholas, 2015/2016 final Real Madrid vs Atlético Madrid, vence o Real nas penalidades, e a taça segue para Espanha. Os dois juntos investiram qualquer coisa como 221,61 Milhões, o Real contribui com 85,50 Milhões e o Atlético com 136,11 Milhões.

Na época transacta, não foi diferente… A taça ruma para Espanha, final entre Real Madrid e Juventus, vencem os espanhóis por 4-1. O investimento dos italianos (191,80Milhões), não se reflectiu na conquista da ambicionada taça. Os espanhóis ficaram pelos “modestos” 30 Milhões.

E agora para concluir vamos ver, que desde a época 1999/2000 até 2016/2017, temos apenas 8 equipas a vencer a Liga dos Campeões, dessas 9 equipas, 2 equipas espanholas (Real Madrid e Barcelona), 1 Alemã (Bayern Munique), 2 Italianas (Inter Milão e AC Milan), 3 Inglesas (Manchester United, Liverpool e Chelsea) e 1 portuguesa FC Porto).

Olhando para as alterações que o modelo competitivo tem vindo a sofrer e olhando para estes números, nomeadamente as verbas envolvidas, posso concluir que, a Ligas dos Milionários é cada vez mais para equipas RICAS, sendo disputada essencialamente por Espanhóis, Italianos, Ingleses e Alemães.

Goncalo Rêgo

Sou o Gonçalo, um apaixonado por tudo o que diz respeito ao futebol. Estou ligado ao mundo do futebol uma vez que além de treinador, trabalho também como observador e analista do adversário (para uma equipa do CNS), e coopero com algumas agências de futebol (Scouting). Gosto de escrever sobre Futebol, e não falar de bola, como estamos habituados a ouvir e a ler, Porque há uma grande diferença. Espero que gostem da minha escrita.

Deixe uma resposta