Benfica 5-0 Belenenses: Pistolas afinadas, nova goleada

O Benfica voltou a esmagar sem grandes dificuldades o Belenenses na Luz, com um 5-0 em que Jonas participa em quatro golos, marcando três. Seferovic marcou o quarto golo em tantos jogos, e Salvio fez um golaço à entrada da área. Dos da Cruz de Cristo, Chaby foi novamente o mais inconformado.

O Benfica marcou logo no primeiro remate, aos 2 minutos de jogo. Na sequência dum livre indireto batido por Pizzi, Jonas “Pistolas” marca de cabeça. Este golo tornou o brasileiro o segundo melhor marcador estrangeiro do Benfica, ultrapassando Magnusson, e ficando apenas aquém de Cardozo. O clube do Restelo reagiu bem ao golo, procurando uma resposta rápida, e com a ajuda de alguns erros defensivos do Benfica quase marcava, mas Varela negou o empate. Aos 28′, outra bola parada batida por Pizzi, nesta ocasião um canto, desembocou no 2-0. Luisão ia marcando de cabeça, e na ressaca do lance Salvio remata em arco para um golo magistral do argentino. Escassos cinco minutos depois, Jonas descobre Seferovic nas suas costas e deixa-o à mercê do golo, que na cara de Muriel aproveita, no quarto golo em quatro jogos consecutivos. Este parece ser o golo “tipo” deste Benfica. Jonas ainda atirou de meio-campo, mas encontrou a barra sob o olhar incrédulo de Muriel. Uma primeira parte dominada pelos encarnados, competentes na defesa e eficazes na concretização, com destaque para a dupla atacante, Salvio e Pizzi. Talvez o pior elemento tenha sido Filipe Augusto pela quantidade de bolas oferecidas ao adversário, que se mostrou impotente para contrariar o rumo do encontro, apesar do bom jogo de Filipe Chaby.

-Bem pode levar esta bola para casa. É o jogador com mais participações em golos na liga (6)

O jogo reiniciou-se com uma única alteração, neste caso Domingos retirou Geraldes por Maurides, que esteve apagado. Outra vez ascendente do Benfica, que organizava bem o seu jogo, mas mais uma vez ameaçava nas bolas paradas, novamente por Luisão que acertou no ferro. À semelhança da primeira metade, Seferovic apareceu na cara de Muriel, mas o suiço rematou ao lado. Cervi encontra o ferro pela terceira ocasião no encontro, e momentos depois Salvio sai lesionado (jogo memorável do extremo argentino) para Chrien fazer os primeiros minutos na Luz, que também viu André Almeida sair a coxear, e a posição de lateral direito pode tornar-se cada vez mais instável. Já nos instantes finais a vitória do Benfica foi ainda mais reforçada, com dois golos de Jonas, um aos 89 e outro no descontos. O primeiro golo foi de belo efeito, recebendo o passe de Jimenez no peito e finalizando uma boa jogada sem apelo nem agrafo, e o segundo tento surgiu num encosto fácil ao segundo poste a passe de Pizzi, na direita.

Vitória quase que indiscutida do Benfica, que controlou um Belenenses impotente para virar o resultado, e impedir a goleada. Destaque para o hat-trick de Jonas, que se tornou o segundo melhor marcador estrangeiro de sempre dos encarnados, e para mais uma vitória dilatada na Luz sobre os rivais do Belenenses.

Foto: Carlos Alberto Costa

David Silva

Contar a minha história é falar de futebol. Primeiro, a paixão. Depois, a prática. Em seguida, uma deslocação de 71km entre a Lourinhã e a NOVA/FCSH, onde concluí o curso de Ciências da Comunicação, em 2019. Pelo meio, nove meses de estágio memoráveis no Canal 11, na Cidade do Futebol. E por fim, a paixão. Sempre.

Deixe uma resposta