Sporting B vence Real SC com cambalhota no marcador sobre o apito final

O Sporting B vence o Real SC pela vantagem mínima (1-2), com a reviravolta dos leões, a ser conquistada no período de descontos.

A equipa de Massamá, estreante esta época no futebol profissional, defrontara os leões no fecho da terceira jornada com uma manha tórrida em que, os primeiros 45′, foram pautados por ambas as equipas por um ritmo lento, praticando um futebol mais calculista e com muito equilíbrio entre os dois conjuntos.

Os onzes iniciais mantem-se para o segundo tempo e as duas formações vinham destinadas a inverter o nulo.

Na cobrança de um livre à entrada da área, os pupilos de Filipe Martins, inauguram o marcador aos 65′ por intermédio do camisola 23 Jorge Bernardo.

Saliente-se que momentos antes da cobrança do livre, em que o arbitro internacional Jorge Sousa, teve uma atitude deplorável com o guardião da formação leonina, dirigindo-se ao jogador, com um tom autoritário e de má educação…..

Os pupilos de Luís Martins iam tentando chegar ao empate e com a entrada de Pedro Marques, os leões ganham mais intensidade e mais capacidade em chegar a defesa contraria.

Decorria o minuto 89 e Bruno Paz cruza dentro da área para Pedro Marques, colocar o marcador empatado a uma bola.

Jorge Sousa, alvo das paragens, dá 6′ de compensação e os homens da casa por intermédio de Vinícius quase desfaziam a igualdade, proporcionando a Stojkovic, uma boa intervenção, neutralizando o segundo do Real.

O Sporting mais motivado, não desiste de procurar o golo e até final, é a equipa mais focada na vitória.

Vasco Coelho trava em falta Jovane Cabral que fugia na ala esquerda. O atleta do Real, vê aquele que foi o primeiro cartão da partida. No seguimento dessa falta, Rafael Barbosa cobra o livre para Pedro Delgado que está livre de marcação e coloca os leões na frente do marcador aos (90’+3′).

Abdu Conté vê um vermelho directo, fruto de gestos feitos para a bancada por ocasião do segundo golo dos leões.

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e por futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os "artistas" brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....

Deixe uma resposta