Sporting faz assalto ao castelo vimaranense, com pontaria afinada

Ontem o Sporting na sua deslocação à cidade berço para defrontar o Guimarães, fez um jogo exímio com uma vitória por cinco bolas sem resposta. Os vimaranenses têm muito a fazer, para poderem dar tranquilidade aos seus adeptos.

Os homens orientados por Jorge Jesus, entraram a vencer com o médio Bruno Fernandes aos 3′ a fazer um golaço. O médio em bola recebida por Piccini, cria espaço e de fora da área, com um remate cruzado e colocado ao angulo da baliza de Miguel Silva, fez levantar o estádio. O guardião vimaranense, pouco podia fazer, para impedir o primeiro dos leões.

Os vimaranenses tentam sem rigor, inverter o rumo do jogo mas o conjunto de Alvalade, vinha endiabrado e aos 20′ Bas Dost, aumenta a vantagem na sequência de um livre apontado por Acuña, o holandês ao centro da área e livre de marcação, fez o que sabe, cabeceia forte para dentro das redes.

Pedro Martins de semblante pesado, assistia os seus homens impotentes para travarem as movimentações leoninas com transições rápidas. Com um meio campo a carburar, foi a vez de Battaglia com excelente visão de jogo, lançar em profundidade para as costas do lateral vimaranense e Coentrão à esquerda, assiste para dentro da área Bas Dost que, na passada, bisa na partida.

Em 20′ os visitantes condicionam um Vitória de Guimarães sem chama.

No regresso para a etapa complementar, era espectável que os homens da cidade berço, trouxessem mais caudal ofensivo. Pedro Martins aos 58′ tenta inverter o sentido de jogo e faz entrar Rafael Miranda e Sturgeon, saíndo Zungu e Paolo Hurtado que, na ultima jogada, antes de abandonar o relvado, ainda teve hipótese de golo proporcionando a Rui Patrício, excelente intervenção. A ocasião fora motivada por um mau atraso de Piccini que, sem olhar, na tentativa de entregar a Patrício, encontra no caminho, Hurtado que tenta fintar o internacional português que, ao fazer a mancha, evita o primeiro dos pupilos de Pedro Martins.

A meia hora do apito final, Bruno Fernandes voltou a encher o pé e a assinar o segundo da conta pessoal, ao ser assistido por Adrien Silva, o jovem cria espaço e num potente remate cruzado fora da área, a bola segue teleguiada para dentro da baliza defendida por Miguel Silva.

Logo de seguida, Jesus lança Iuri Medeiros que substituía Acuña que mais uma vez, fez um excelente jogo. A gestão da equipa tendo em conta os compromissos europeus, assim o exigia assim como, ao mesmo tempo que, dava minutos de jogo ao jovem Iuri.

Os vimaranenses pouco incomodavam o sistema de jogo dos leões e Pedro Martins, a vinte minutos do fim, tenta um ultimo suspiro esgotando as substituições (sai Helder; entra Rafael Martins).

Os homens de Alvalade respondiam com o refrescar da equipa, saía Coentrão para dar lugar a Jonathan Silva.

Os leões estavam endiabrados e iam dando sinais de que, os quatro golos marcados não iria ser o resultado final.

Aos 79′ Iuri Medeiros, assistido por Gelson Martins, teve hipótese de fazer o quinto dos leões. Logo de seguida era  a vez de Bruno Fernandes que, com um lance em chapéu, fazia a bola acertar na barra.

O central Jeremy Mathieu sai queixoso aos 84′ com o jovem André Pinto, a  assumir a posição do Francês.

O fecho da contagem chega aos 85′ com bonitas trocas de bola entre os leões. Jonathan Silva lança Gelson à esquerda e dentro da área, cruza para Adrien que entrega a Iuri e desmarca-se, recebendo deste, sem demoras e fecha a contagem da partida fazendo o quinto para os leões.

A fechar, Gelson ainda tentou fazer o gosto ao pé e não fora a excelente intervenção do guardião da casa, o internacional português teria feito a meia dúzia….

O Vitória de Guimarães terá de recorrer ao mercado certamente, para poder colmatar as diversas fragilidades do seu conjunto, é nítida a falta de soluções para o técnico Pedro Martins.

Ao Sporting tudo correu bem, com transições rápidas e fluídas. A defesa leonina continua sem saber o que é sofrer um golo.

 

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e por futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os "artistas" brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....

Deixe uma resposta