Regresso inglório de Fábio Coentrão, com a camisola da selecção das quinas

Fábio Coentrão voltou à titularidade, com a camisola das quinas, acabando por ser um regresso, pautado pelo azar. O lateral leonino, saiu à meia hora de jogo, com uma lesão muscular na coxa esquerda.

No jogo de ontem, a contar para o apuramento do Mundial de Futebol, a selecção portuguesa foi à Hungria vencer a sua homologa por uma bola sem resposta.

O lateral esquerdo do Sporting, foi substituído por Eliseu, perto da meia-hora de jogo, a contas com um problema muscular na coxa esquerda.

Recorde-se que o internacional português, não alinhava com a camisola das quinas, desde outubro de 2015.

Fernando Santos, quando questionado sobre a gravidade da lesão, remeteu a resposta para uma futura ocasião, após falar com o corpo clínico da Seleção, sustentando que: “Temos de esperar, ainda não falei com os médicos. O Coentrão é um jogador que funciona bem também como médio, porque procura muitas vezes o espaço interior. Esteve sempre muito bem nos treinos. Infelizmente, teve um problema, porque até aí estava a jogar muito bem”, o selecionador salienta a dificuldade na alteração táctica motivada pela saída de Coentrão: “Condicionou um pouco, porque foi uma troca forçada e depois estive sempre na dúvida quanto à substituição final”, reconheceu, ao microfone da RTP.

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e por futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os "artistas" brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....

Deixe uma resposta