Boa exibição leonina, fora insuficiente para travar qualidade atacante da Juventus

O Sporting foi esta quarta-feira derrotado pela Juventus em Turim, por 2-1, em partida a contar para a 3ª jornada do Grupo B da Liga dos Campeões. O resultado permitiu que os italianos, assumissem isoladamente o 2.º lugar da série, liderada pelo Barcelona.

Os homens de Jorge Jesus, começaram muito bem o encontro, beneficiando de um autogolo de Alex Sandro aos 12 minutos. Um Passe de Bruno Fernandes e Alex Sandro não evitou que a bola chegasse a Gelson Martins e o jovem internacional português, isolado, permitiu a defesa de Buffon, mas a bola acaba por ressaltar, em Alex Sandro, que vinha em recuperação, e só parou no fundo das redes.

A Juventus reagiu bem ao autogolo que deu vantagem aos portugueses, com os “bianconeri” a criarem três boas situações de golo, com Pjanic e Khedira a começarem, pouco a pouco, a tomar conta do meio-campo. Aos 29′ é Pjanić que estabelece a igualdade no marcador. Especialista na marcação de bolas paradas, Pjanić não perdoou na marcação de um livre directo a castigar uma falta que ele mesmo tinha sofrido, fazendo a bola entrar junto ao poste direito da baliza de Rui Patrício, que ficou pregado ao solo sem reação ao potente e bem colocado remate.

 

Os homens de Turim estiveram melhor nesta fase do jogo e aos 37′, Rui Patrício fez nova intervenção com uma defesa segura, travando uma jogada rápida do ataque da Juventus, com Cuadrado a servir Dybala e este a rematar rasteiro.

Quase sobre o apito para o final da primeira parte, foi novamente o guardião leonino a segurar o empate aos 43′, com uma grande defesa, travando um remate cruzado de Higuaín, que surgiu em boa posição na grande ára do Sporting.

Os dois conjuntos recolhem aos balneários com o marcador a sinalizar 1-1.

Uma boa entrada do Sporting logo após o reatamento, com os “leões” a conseguirem manter a bola longe do seu sector defensivo. Contudo, a Juventus depressa reassumiu o controlo do jogo e sempre que se aproximou da grande área de Rui Patrício, fê-lo com perigo.

Com o jogo a entrar numa fase crucial, o Sporting parecia acreditar cada vez mais que poderia sair de Turim com um resultado positivo. O mister leonino mexeu na equipa aos 76′ (João Palhinha, rende  Gelson Martins). Com a alteração, o Sporting reforçou o meio-campo com o intuito de travar o provável ímpeto final dos anfitriões. Um minuto decorrido após a alteração e o técnico leonino viu-se forçado a nova mexida na equipa, fazendo entrar J. Silva que substituiu Fábio Coentrão que saiu mal tratado, consequência de um lance disputado, junto à linha de fundo.

Decorria o minuto 84 e a reviravolta aconteceu com a assinatura de Mandzukic. Um cruzamento milimétrico de pé esquerdo, apontado pelo recém-entrado Douglas Costa e Mandžukić, antecipou-se a Jonathan Silva no segundo poste e cabeceou a meia altura, para o fundo das redes.

Em desvantagem no marcador, Jorge Jesus tentou o tudo por tudo e lançou em campo, o avançado costa-marfinense Doumbia, retirando Battaglia.

 O golo da Juventus surgiu, talvez, de forma algo inesperada, numa altura em que o Sporting jogava bem. Mas, quando se tem tantos avançados de qualidade como a Juve tem, os golos podem surgir a qualquer momento. Allegri transmitiu a mensagem para dentro de campo, lançando o extremo Douglas Costa para o lugar do lateral Sturaro e foi recompensado.

Os leões acusaram o golo e aos (90’+2′), estiveram perto do empate com um cruzamento, de trivela, de Bruno Fernandes, para o segundo poste e Doumbia ficou a milímetros de chegar à bola e encostar para o fundo das redes.

A formação verde e branca termina assim a jornada em 3.º lugar, com três pontos. O Barça, que venceu em casa o Olympiakos por 3-1, segue na liderança, com nove. A 2.ª posição é da Juventus, com seis, enquanto os gregos completam o grupo, ainda sem qualquer ponto somado.

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e por futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os "artistas" brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....

Deixe uma resposta