Leões cedo descobriram as chaves do acesso à esmagadora vitória

O Sporting recebeu e goleou (5-1), esta noite, o GD Chaves em jogo a contar para a 9ªjornada da LIga NOS.

Os leões cedo mostraram que vinham com vontade de fazer acontecer. O golo madrugador aos 6′ apontado por Bas Dost, veio na sequencia de um pontapé de canto em que, o holandês, nas alturas, cabeceou para dentro das redes. O jogo só tinha um sentido e ao minuto 15, Daniel Podence fez um cruzamento magistral para Bas Dost voar e este, de cabeça, deu o rumo certo à bola, até ao golo. Os homens de Alvalade demonstraram bom entendimento e muita cumplicidade ofensiva. Decorriam os 30′ de jogo e Gelson Martins na área, fora travado por Bressan que deu um toque na coxa do internacional português. O arbitro Rui Costa assim não o entendeu e prontamente, mostrou cartão amarelo a Gelson por entender que o jogador, se atirou para o relvado, sem motivo. O juiz da partida, ainda recorreu ao vídeo-arbitro mas a decisão inicial, manteve-se. Os homens da casa não se deixaram abalar pela situação e continuaram com forte caudal ofensivo perante um GD Chaves inofensivo que se limitou a tentar travar, o ímpeto atacante dos leões. O dilatar do marcador, surgiu fruto de um bonito ataque em que, Gelson Martins, assistiu Marcos Acuña e o argentino, faz o terceiro dos leões aos 39′.

A primeira parte chegara ao fim com um GD Chaves a não conseguir elaborar um ataque digno de perigo, demonstraram muita dificuldade na fase de construção. O Sporting terminou os primeiros 45′ com boa ligação entre os sectores e excelente combinação entre os jogadores a proporcionarem boa dinâmica ofensiva. Gelson Martins e Daniel Podence estiveram com grande cumplicidade e no corredor direito o entrosamento entre ambos, fora sublime, alternado entre eles, os lances ofensivos interiores e exteriores. baralhando a defensiva transmontana.

No regresso para a etapa complementar, o GD Chaves entrou com mais crença e mais destemido, criaram mais lances ofensivos em dez minutos que por ocasião dos primeiros 45. No entanto, foram os homens liderados por Jorge Jesus que, oportunamente, fizeram a história do marcador e o quarto golo dos leões, apareceu com a assinatura do argentino Acuña que, depois de receber dos pés de Bas Dost, não vacilou e dilatou a vantagem aos 58′. Os pupilos de Luís Castro iam tentando contrariar um adversário que apesar do recente jogo europeu, não deu sinais de quebra física e ia desfilando o seu futebol sem grande oposição.

A 15′ do tempo regulamentar, Bas Dost carimba o seu Hat-trick, fruto de um centro de Piccini junto da linha de fundo e o holandês de cabeça, fez a bola seguir o seu caminho certo. A história do jogo parecia estar feita , não sem antes, os visitantes, fazerem o golo de honra, já em período de compensação, com um bonito lance indivudual do brasileiro Davidson, a fazer um chapéu a Rui Patrício.

O GD Chaves fora presa fácil para um leão endiabrado.

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e por futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os "artistas" brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....

Deixe uma resposta