Tottenham teve de suar muito para derrotar o Crystal Palace

A primeira parte da partida não teve grande história. O Tottenham, que alinhou sem Dele Alli, Toby Alderweireld e Hugo Lloris por lesão, dominou o jogo como se lhes seria esperado contra o último classificado da Premier League. No entanto, faltou-lhe intensidade e concentração nos momentos decisivos. A melhor oportunidade da primeira metade foi, inclusive, do Crystal Palace com um cabeceamento de Dann na sequência de um canto que o guarda-redes estreante do Tottenham, Gazzaniga, parou.

Na segunda parte, o jogo cresceu, com ambas as equipas em busca do golo. O Tottenham pôs o pé no acelerador nos primeiros minutos, com rápidas trocas de bola e várias ocasiões de perigo, mas o Palace, rejuvenescido depois da chegada do técnico Roy Hudson, não se deixou intimidar e partiu também para o ataque. Foi precisamente no seu melhor momento na partida, que sofreram golo, aos 64 minutos, de um grande remate de Heung Min Son à boca da área.

O jogo continuou dividido e vivo após o golo dos Spurs, com o Crystal Palace a deixar a formação de Pochettino nervosa até ao último minuto. No fim, os três pontos ficaram em Wembley e o Tottenham põe, agora, pressão no Manchester que joga esta tarde contra o Chelsea.

Francisca Tinoco

Aluna do segundo ano da licenciatura de Ciências da Comunicação na Universidade Nova de Lisboa, amante do futebol e do desporto e sonhando em poder fazer do jornalismo desportivo a minha vida.

Deixe uma resposta