Liga NOS : O onze da jornada

A 11ª jornada da Liga NOS teve como jogo de cartaz a receção do Sporting ao Sporting de Braga, numa partida em que leões e arsenalistas empataram a duas bolas. O deslize leonino foi aproveitado pelo FC Porto, que venceu o Belenenses por 2-o, e pelo Benfica que foi a Guimarães vencer por 3-1. A 11ª jornada iniciou-se na sexta-feira, com a vitória do Desportivo das Aves em Setúbal por 1-0, abandonando assim os lugares de despromoção, por troca com o Moreirense, que empatou a uma bola com o Portimonense. Nos restantes jogos da jornada, o Tondela venceu o Boavista por 3-2, depois de ter estado a perder por 2-o, o Estoril aumentou para 10 o número de derrotas consecutivas, ao perder em casa frente ao Rio Ave (0-2), o Chaves voltou aos bons resultados, vencendo o Paços de Ferreira por quatro bolas a duas, e o Marítimo foi a Santa Maria da Feira, conquistar os 3 pontos frente ao Feirense (0-1).

Numa jornada que fica marcada pela liderança cada vez mais isolada do FC Porto, que aumentou para 4 os pontos de vantagem sobre o segundo classificado Sporting, o AMBIDESTRO vai mostrar-lhe as nossas escolhas para o onze da semana do campeonato, que desta vez não conta com nenhum jogador do Benfica.

Muriel – Belenenses 

Apesar de o Belenenses ter saído derrotado do Dragão por duas bolas a zero, Muriel foi um dos grandes destaques da partida. O guardião conseguiu sempre transmitir muita segurança à sua defesa quer entre os postes, quer a sair deles,  e evitou por diversas vezes o golo do FC Porto. Terminou o jogo com 8 defesas, seis delas na grande área, o que constitui o máximo da jornada, três saídas a soco, e com o reconhecimento de todos os adeptos.


Ricardo Esgaio – Sporting de Braga

O lateral-direito tem sido um dos jogadores em destaque na liga, contando já com 5 assistências para golo, e na última jornada, frente ao seu antigo clube, foi mesmo um dos melhores em campo, mostrando-se incansável, quer a defender quer a atacar. Revelou um grande acerto posicional, recuperou muitas bolas, e sempre que subiu no terreno conseguiu criar desequilíbrios na defesa leonina, tendo tido inclusive a possibilidade de fazer a diferença no marcador, numa arrancada pelo lado esquerdo que só não deu em golo devido a um grande corte de Gelson Martins.

Raphael Rossi – Boavista

Sendo o central de uma equipa que esteve a vencer por 0-2 e acabou por perder 3-2, é de estranhar a presença de Raphael Rossi neste onze, mas, na partida frente ao Tondela, o defesa brasileiro revelou-se o patrão da defesa do Boavista, ganhando 10 dos 14 duelos aéreos que disputou e cortando vários lances de perigo da equipa beirã. Além disso o jogador de 27 anos apontou ainda um dos golos da sua equipa, num dos três remates que fez à baliza.


Marcelo – Rio Ave

Depois da derrota frente ao Sporting na passada jornada o Rio Ave voltou aos bons resultados e Marcelo foi um dos destaques da vitória da sua equipa frente ao Estoril. O central foi uma muralha intransponível para os canarinhos, recuperando muitas bolas, dobrando os laterais sempre que foi chamado a intervir e mostrando-se sempre seguro com a bola nos pés. O brasileiro foi mesmo o jogador mais em jogo na partida, com 89 toques, 13 acções defensivas e 7 alívios, números que lhe garantem um lugar no onze AMBIDESTRO.

Alex Telles – FC Porto

Para a posição de lateral-esquerdo temos um nome que já nem aos mais desatentos surpreende, Alex Telles. O lateral do Porto é um poço de força inesgotável, e tem vindo a apresentar uma regularidade impressionante semana após semana. No jogo frente ao Belenenses voltou a estar em bom plano, tanto nas missões defensivas como nas missões ofensivas, registando 4 desarmes, 5 intercepções e uma mão cheia de jogadas de perigo que começaram nos seus pés. Já fica difícil arranjar palavras para o descrever.


Danilo Silva – Sporting de Braga 

Depois de uma passagem não muito bem sucedida pelo Benfica, Danilo está mesmo de volta à melhor forma. O médio bracarense esteve imperial no tapete de Alvalade, tendo sido crucial para a menor produção do meio-campo leonino. Recuperou muitas bolas, soube ditar os tempos de jogo e levou a equipa para a frente sempre que ela precisou, culminando a sua excelente exibição com um daqueles golos de levantar o estádio, que quase garantiam os 3 pontos para o Sporting de Braga

Herrera – FC Porto

Esta temporada tem sido definitivamente a temporada de Herrera. O médio mexicano tem finalmente conseguido mostrar toda a sua qualidade pelo FC Porto, aliando a isso uma regularidade exibicional, a que os adeptos portistas não estavam habituados. Na partida frente ao Belenenses voltou a marcar, depois de já o ter feito frente ao Leipzig a meio da semana, e encheu o campo, não se deixando afectar pelas mudanças operadas por Sérgio Conceição no meio-campo. Controlou sempre o jogo da sua equipa e acabou por estar ligado ao golo de Aboubakar, ao conduzir o contra-ataque que culminou no golo do camaronês.


Bruno Fernandes – Sporting

Palavras para quê? Bruno Fernandes é cada vez mais um jogador preponderante no esquema de Jorge Jesus, e a sua qualidade já não deixa ninguém indiferente. Depois de uns jogos menos bem conseguidos, o médio leonino apresentou-se ao seu nível na partida frente ao Braga, tendo sido um dos principais agitadores do jogo. Arriscou, perdeu algumas bolas, mas foi sempre o elemento mais esclarecido da equipa verde e branco, conseguido contrariar a pressão bracarense no meio-campo. Assistiu Bas Dost com um cruzamento milimétrico, e fez ainda o golo do empate do Sporting mesmo ao cair do pano.

João Novais – Rio Ave 

É o segundo jogador do Rio Ave presente neste onze, e definitivamente um dos melhores da jornada. João Novais foi uma ameaça constante para a defesa canarinha, conseguindo criar desequilíbrios sempre que a bola vinha ter consigo. O médio foi mesmo crucial no triunfo da sua equipa frente ao Estoril (2-0), ao apontar um dos golos vilacondenses, num dos quatro remates enquadrados que realizou (rematou 6 vezes no total), e ao assistir Guedes para o segundo golo, na sequência de uma bola parada.


Aboubakar – FC Porto

À semelhança do que acontece com Alex Telles, este é mais um jogador que nos tem habituado a uma impressionante regularidade exibicional. O avançado camaronês tem marcado em quase todas as partidas, e a última jornada não foi excepção. Aboubakar decidiu quase sempre bem e nunca deu um minuto de descanso aos defesas do Belenenses, culminando a sua exibição com um toque subtil sobre Muriel que acabou no fundo das redes. Para além disto o ponta-de-lança criou ainda várias situações de golo para a sua equipa, tanto através de passes para a finalização dos seus companheiros, quer através de jogadas individuais.

Murilo – Tondela 

Quem viu que a 15 minutos do fim da partida o Boavista vencia o Tondela por 2-0, nunca pensou que a equipa beirã ainda iria conseguir a vitória, mas a verdade é que conseguiu, e Murilo, é um dos grandes responsáveis por essa reviravolta. O avançado brasileiro esteve sempre muito ativo na frente de ataque do Tondela e o seu esforço acabou por recompensar, aos 85 minutos quando, com um remate cruzado, marcou o golo que garantiu os três pontos para a sua equipa, já depois de ter marcado de penalti aos 77 minutos.

Diogo Gonçalo

Diogo Rafael, 21 anos e um apaixonado pela vida no geral e pelo futebol em particular. Licenciado em Ciências da Comunicação e criador do site www.theluxlifeon.com, onde pretendo ajudar os outros a aproveitarem a vida ao máximo.

Deixe uma resposta