Jonas: “Acabar a carreira no Benfica é o meu desejo”

Em entrevista para a Benfica TV, Jonas Gonçalves declara o amor pela camisola que veste desde 2014 e afirma que o Benfica é onde deseja acabar a carreira. O veterano (em grande forma) relembrou ainda o período em que esteve lesionado e falou sobre a seleção brasileira.

O avançado já teve propostas tentadoras em termos financeiros para jogar na China, mas ainda assim diz desejar “Acabar a carreira no Benfica. Se eu tivesse de voltar para o Brasil, seria para jogar no Guarani, mas aqui está sendo demais. A minha família está muito feliz, eu também… O meu pensamento hoje é terminar aqui. Quero jogar até aos 35 anos.”

Atualmente com 33 anos, fará 34 dia 1 de Abril. Muito tempo não restaria então para os tais 35 anos, altura em que Jonas se pretende retirar, mas não fecha a porta uma renovação.

Não tenho como recusar. Todos me têm tratado com muito carinho. Estou num clube fantástico, com pessoas fantásticas. O presidente é uma pessoa em quem todos têm muita confiança, é muito próximo. Confesso que em todos os clubes por onde passei nunca vi um presidente tão próximo do balneário. Se ele tiver essa ideia, é porque confia no meu futebol, mas vamos pensar pouco a pouco. Com o presidente tenho uma relação muito boa

Na época passada o avançado enfrentou uma lesão e um período de recuperação difíceis, por isso não esqueceu quem o ajudou nesse período:

“Aproveito para agradecer de novo a todo o departamento médico do Benfica, a todas as pessoas que acompanharam o meu processo. Foi uma lesão muito difícil e, não vou mentir, chegou a estar em causa a minha carreira. Foi muito importante a intervenção e o conhecimento dos profissionais que me acompanharam. Estou muito grato. Foi difícil, cheguei a não dormir, mas tranquilizei-me após a segunda cirurgia. Vi que era o melhor caminho, passámos por um bom processo de recuperação, voltei a jogar e hoje o meu pé está muito bom”.

Finalmente, abordou a chamada à seleção brasileira, que vê como improvável mas não impossível: “É um sonho, mas as chances são remotas porque nunca fui chamado por Tite. Vou reclamar em campo, não posso deixar de pensar nisso. Enquanto não sair a lista definitiva, vou trabalhar por isso. Se não der, vou torcer de fora”

David Silva

Contar a minha história é falar de futebol. Primeiro, a paixão. Depois, a prática. Em seguida, uma deslocação de 71km entre a Lourinhã e a NOVA/FCSH, onde concluí o curso de Ciências da Comunicação, em 2019. Pelo meio, nove meses de estágio memoráveis no Canal 11, na Cidade do Futebol. E por fim, a paixão. Sempre.

Deixe uma resposta