Benfica desperdiça oportunidade de se isolar como líder

O Benfica foi incapaz de aproveitar o ataque ao 1º lugar da liga NOS, lugar que lhe foge desde a 3ª jornada, única vez esta época que os comandados de Rui Vitória estiveram nessa posição. O Belenenses, por sua vez, soma o 10º jogo consecutivo sem conhecer o sabor da vitória, ainda que com o novo treinador Silas somem dois empates em dois jogos.

O Belenenses surpreendeu o Benfica com a pressão alta que exerceu desde o início e o seu estilo de jogo com bola no pé, muito à semelhança de Silas enquanto jogador, deixou o Benfica desconfortável no jogo. Os tetracampeões foram incapazes de contrariar a vontade dos azuis e a verdade é que acabaram a primeira parte sem uma única ocasião clara de golo.

O primeiro jogo após a lesão de Krovinovic não poderia apresentar um desafio maior para o seu substituto. João Carvalho foi o escolhido mas a ausência do croata fez-se sentir. João foi incapaz de preencher o vazio do lesionado Krovinovic, muito por mérito das adversidades que o Belenenses causou, mas por grande demérito da equipa do Benfica, que deram a 1ª parte de avanço.

A 1ª parte acabou assim apenas com dois remates perigosos, um para cada equipa. Chaby aos 3’ tentou a sua sorte à entrada da área, mas Varela atento conseguiu defender confortavelmente. A primeira situação com algum perigo do campeão nacional só aconteceu com um remate rasteiro de Salvio aos 39’ e foi o melhor que o Benfica conseguiu fazer na primeira parte.

Porém, na 2ª metade as coisas mudaram. O cansaço era evidente nos jogadores do Restelo e os encarnados aproveitaram para impor o seu jogo. Salvio voltou a ameaçar a baliza contrária no recomeço forçando Felipe Mendes a uma boa defesa. A resposta não tardou a chegar e logo a seguir Sasso cabeceou por cima da trave na sequência de um canto.

Franco Cervi era o mais inconformado e foi graças a ele que o Benfica conquistou a oportunidade mais flagrante do jogo aos 71′. Depois de um bom passe a rasgar a defesa de Zivkovic, que havia rendido João Carvalho minutos antes, Cervi acaba por ser derrubado na área por Gonçalo Silva, Bruno Paixão não tem dúvidas e assinala penalti. O habitual marcador de penalties do Benfica, Jonas, assume a marcação mas permite a defesa de Felipe Mendes para desespero dos benfiquistas. Minutos depois Cervi, mais uma vez isolado, desta vez falha cara a cara com o guardião do Belenenses.

Rui Vitória tentou mudar o resultado com opções ofensivas, Jiménez e Seferovic, mas a saída de Salvio e Cervi foram incompreensíveis numa altura em que a equipa precisava de conseguir levar bolas para a frente a todo o custo. Por outro lado, Silas decide apostar em Nathan, um jovem brasileiro emprestado pelo Chelsea, para reforçar a frente de ataque. Na sua estreia, Nathan remata de fora de área aos 86′ e piora o que já era uma má exibição do Benfica. Varela nada pôde fazer senão assistir à bola entrar depois de bater no seu poste esquerdo.

Os jogadores do Benfica pareciam desesperados, espelhando o que foi o constante insucesso encarnado ao longo do jogo. Quando tudo parecia perdido, eis que Jonas, já para lá dos 90′, assume veemente a marcação de um livre direto, afastando todos, até Grimaldo que parecia o mais indicado para bater o livre naquela posição. O avançado brasileiro, de orgulho ferido depois do penati falhado, queria uma redenção. Nada melhor que igualar a partida no último lance do jogo depois de um fantástico remate ao canto superior direito do guarda-redes. Estava feito o 1-1 e estava o tempo contado, terminando o jogo após a reposição de bola ao centro.

O Benfica iguala o Sporting na classificação com 47 pontos, ainda que com um jogo a mais, e fica a um ponto do líder Porto, que tem dois jogos a menos que os benfiquistas.

 

Tiago Cruz

Estudante do segundo ano do curso de Línguas Aplicadas da Universidade do Minho. Sou o Tiago Ferreira, ambicioso e sempre à procura de novos projetos. Escrever é uma das minhas paixões.

Deixe uma resposta