Carvalhal e as baixas do Swansea: “Quando um cisne cai, outro começa a voar”

No último fim-de-semana, Leroy Fer e Wilfried Bony lesionaram-se na deslocação ao terreno do Leicester e vão desfalcar os swans por um longo período, porventura até ao final da época. Isto após Renato Sanches se ter lesionado contra o Wolverhampton, no passado dia 6 de Janeiro, em partida a contar para a Taça de Inglaterra.

Confrontado com as baixas, o técnico Carlos Carvalhal, utilizou como referência o animal que simboliza o clube: um cisne.

“Quando um cisne cai, outro começa a voar”, começou por dizer o português, citado pela Sky Sports.

“Lamento porque o Fer estava a jogar muito bem e o Bony estava a lutar muito diariamente para atingir o melhor nível. Desejava tê-los disponíveis, mas temos jogadores capazes de suprir essas ausências.”

Carvalhal prefere, assim, encarar as lesões dos dois jogadores de forma optimista.

“Temos uma nova solução para o meio-campo, o Andy King, embora só possa jogar no fim de semana. Clucas também pode jogar no meio. Leon Britton e Renato, quando recuperarem, vão também fazer parte da equipa.”

Em relação ao internacional português, cedido pelo Bayern Munique, o técnico luso garantiu que vai estar ausente, no mínimo, durante um mês.

“Renato poderá estar de fora quatro ou cinco semanas, mas quando voltar vai-nos ajudar”, finalizou.

André Fernandes

Licenciado em Ciências da Comunicação pela FCSH/NOVA. Madeirense, adepto de futebol e da escrita, marcar golos na vida e chegar o mais longe possível é um dos meus objetivos.

Deixe uma resposta