IC19 era o código que Luis Filipe Vieira e Rui Rangel utilizavam ao telefone

Segundo avança a revista Sábado, o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e o juiz Rui Rangel, utilizavam nas escutas telefónicas, o código “IC19” para se referirem ao litígio de um processo fiscal de uma empresa dirigida por Tiago Vieira.

O código escamoteava o conteúdo e nesse sentido era utilizado “para se referirem à questão da alegada promessa do juiz desembargador de intervir de alguma forma no litígio de um processo fiscal de 1,6 milhões de euros que visa a empresa Votion, Investimentos Imobiliários SGPS, SA, uma das principais sociedades anónimas do grupo empresarial de Luís Filipe Vieira e que é dirigida pelo seu filho, Tiago Vieira”

Ainda segundo a mesma notícia da revista Sábado, as contrapartidas do juiz, seriam um futuro «cargo remunerado» na escola e na universidade que as águias pretendem abrir, assim como o estatuto de «convidado VIP» nas viagens do Benfica em competições europeias.

Recorde-se que ambos são arguidos na Operação Lex, que está a investigar as suspeitas de crimes de recebimento indevido de vantagem, corrupção, branqueamento de capitais, tráfico de influências e fraude fiscal.

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e por futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os "artistas" brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....

Deixe uma resposta