Liverpool sentenciou caminhada europeia do FC Porto

Em jogo a contar para a primeira “mão” dos oitavos de final da Liga dos Campeões, o Liverpool veio ao Estádio do Dragão, vencer a equipa da cidade invicta por cinco golos sem resposta. Uma quarta-feira infeliz em que, o FC Porto sofreu a maior derrota em casa, em jogos das provas europeias.

O adversário inglês vestiu o fato de gala com a insígnia do melhor ataque da Liga dos Campeões e, durante os 90 minutos, justificou tal “patente”.

A primeira oportunidade de golo até pertenceu aos homens de Sérgio Conceição por intermédio de Otavio mas foi o Liverpool que chegou à vantagem aos 25 minutos, num lance em que José Sá ficou mal na fotografia. Mané rematou com pouca intensidade, mas o guardião portista, deixou passar a bola entre os braços e o corpo.

Os pupilos de Sérgio Conceição ainda nem refeitos do golo estavam, quando volvidos quatro minutos, Salah com um trabalho individual soberbo, depois de uma recarga a um remate que o colega James Milner fez acertar no poste, carimbou o segundo golo do encontro.

Os dragões sobre o apito para o intervalo, ainda tiveram hipótese de reduzir a desvantagem num lance em que Tiquinho Soares, dentro da área, atirou bem junto do poste da baliza de Loris.

Regressados para a etapa complementar e a equipa de Jurgen Klopp, deu uma lição de como devem funcionar as transições ofensivas. Num lance de contra-ataque aos 53′, José Sá ainda negou o golo a Firmino, mas Sadio Mané, com a baliza à mercê, não desperdiçou e bisou na partida. Nova transição ofensiva a alta velocidade aos 69′, dentro da área portista, o brasileiro Roberto Firmino dilatou o marcador para o quarto dos ingleses.

A equipa portuguesa demonstrou grande dificuldade em impor o seu futebol e a eficácia inglesa sobressaiu. O senegalês Sadio Mané selou o marcador aos 85 minutos, com um potente remate de fora da área, conquistando assim, um hat-trick, somando o sexto golos na competição.

A segunda “mão” joga-se a 6 de Março.

Fotografia: LUSA

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e por futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os "artistas" brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....

Deixe uma resposta