E se Mourinho e Guardiola estivessem a lutar pela manutenção?

Antiga lenda do futebol inglês, tendo passado por clubes como Leicester, Everton e Tottenham, Gary Lineker é agora comentador e jornalista desportivo em terras de Sua Majestade. Recentemente, deu uma entrevista ao Planet Sport, onde aborda a rivalidade entre José Mourinho e Pep Guardiola.

O Pep é um génio, mas o José teria mais sucesso numa equipa mediana”.

O técnico catalão caminha a passos largos para vencer a Premier League (tem neste momento 16 pontos de vantagem para Mourinho, que é 2º), mas Gary Lineker não considera o panorama atual o reflexo da situação em que se encontram os dois treinadores. Embora tenha Guardiola em elevada consideração, Lineker crê que a grande diferença esta época entre o Man. City e o Man. United se deve ao facto de simplesmente os Citizens terem melhores jogadores.

“A razão pela qual o City está tão à frente do United atualmente tem que ver com a genialidade do seu treinador, mas mais do que isso tem que ver com o facto de possuir no seu plantel jogadores um pouco melhores”, diz o inglês, que acrescenta que são os jogadores que fazem (ou quebram) um treinador. “Mourinho e Guardiola são do melhor que há no futebol mundial em termos de treino ou pensamento tático, (…) mas serão sempre os jogadores a decidir se um treinador é ou não bem-sucedido”.

Quando questionado se os dois arquirrivais continuariam a ter sucesso caso nenhum pudesse escolher jogadores de topo e qual dos dois elegeria para a sua equipa, Lineker demonstra admiração por ambos, oferecendo a sua visão.

“A minha preferência seria sempre ver uma equipa de Guardiola porque adoro a maneira como ele aborda o jogo, mas suspeito que se ambos estivessem na segunda metade da tabela e a trabalhar com jogadores de menor qualidade, talvez Mourinho conseguisse obter melhores resultados”, começou por dizer, reforçando:

Seria Guardiola capaz de fazer o que está a fazer se estivesse à frente do Huddersfield? Não me parece, mas seria fascinante vê-lo tentar… Se ele estivesse num clube desse tipo, provavelmente escolheria jovens jogadores à sua medida e fá-los-ia evoluir, mas não sabemos se iria resultar.”

O antigo avançado prossegue elogiando o trabalho do catalão e a evolução do Manchester City, reclamando crédito para o timoneiro dos Blues.

“O seu futebol é alegre, é maravilhoso e lindo! Claro que precisa de jogadores de classe mundial para que resulte, e ele sempre os teve em todos os clubes, mas tem feito um trabalho excecional no City. É certo que gastaram muitos milhões para construir esta equipa, mas contrataram jogadores para encaixarem num sistema e numa equipa que está a funcionar otimamente, e Guardiola e a equipa de recrutamento merecem o sucesso que se avizinha”.

Por outro lado, o estilo de jogo do City de Guardiola tem levado a um maior número de críticas à abordagem mais pragmática de José Mourinho no United, mas Lineker é igualmente elogioso relativamente ao português, dizendo que muita da crítica de que ele é alvo é injusta.

“O Mourinho tem uma visão do jogo mais da escola antiga. Manter tudo coeso e ferir os adversários no contra-ataque – e não há nada de mal nisso. São táticas perfeitamente válidas e as equipas dele são sólidas, difíceis de derrotar, e conquistam muitos títulos. Ele dá liberdade a três ou quatro jogadores e os restantes têm de ser um bloco sólido, mas isso não é um estilo de jogo negativo”, afirma o inglês, reforçando a defesa ao treinador português.

“Existe uma perceção sobre José Mourinho de que ele promove um futebol negativo ou defensivo e as pessoas sentem dificuldades em ver para além disso, o que me parece injusto.”

Fazendo uma breve análise ao desempenho dos colossos de Manchester, Lineker traça as diferenças entre as equipas. “O United tem feito uns bons jogos, com um futebol fluido. O Mourinho está a desenvolver uma equipa e estamos a vê-la compor-se peça a peça. A questão é que o City tem um núcleo de jogadores que já jogam juntos há muitos anos e percebe-se que a fluidez do seu jogo é melhor precisamente por esse entendimento construído ao longo do tempo”.

 

Marco Pereira

Amante do desporto, respira futebol e considera-o uma das suas grandes paixões. É licenciado em Línguas Aplicadas pela Universidade do Minho.

Deixe uma resposta