Reviravolta vitoriana provoca primeiro despiste do Dragão

Depois do empate no dérbi da capital, todos estavam de olhos postos no norte do país para ver o que o FC Porto conseguia fazer frente a uma equipa do Vitória SC que procurava os seus primeiros pontos. No entanto, a surpresa aconteceu. 36 jogos depois, o FC Porto conheceu o sabor da derrota no seu estádio, para o campeonato.

Sérgio Conceição não promoveu qualquer alteração no onze que vinha a ser utilizado nos jogos anteriores, sendo a entrada de Marega na convocatória o único destaque. Já Luís Castro realizou três alterações em relação ao jogo do Feirense. Entraram para o onze inicial Sacko, Joseph Amoah e João Carlos Teixeira por troca com Dodô, Celis e Davidson (que viria a ser decisivo).

Numa primeira parte em que os campeões em título assumiram as rédeas do jogo, Douglas ia evitando a vantagem portista ao anular as tentativas de golo por parte de Herrera e Felipe. No entanto, por volta do minuto 37, Douglas nada pôde fazer perante o “tiro” de Brahimi. O argelino tabelou com André Pereira e finalizou a jogada com um remate potente que só parou nas redes da baliza vitoriana. Ainda antes do intervalo, André Pereira aumentou a vantagem dos dragões. Alex Telles bateu o livre da esquerda e André Pereira cabeceou para golo. O avançado encontrava-se em posição irregular, mas o golo acabou mesmo por ser validado por Fábio Veríssimo.

Chegávamos assim ao intervalo, com um resultado que em nada faria prever o desfecho do jogo.

Na segunda parte, o FC Porto foi uma verdadeira nulidade. Brahimi saiu lesionado aos 51 minutos e deu-se, a partir desse momento, o adormecimento total da equipa portista. Herrera e Sérgio Oliveira perderam o meio campo e o FC Porto não conseguia lidar com a agressividade e intensidade que os comandados de Luís Castro estavam a impor no jogo. Aos 64 minutos, André André reduz através de uma grande penalidade cometida por Sérgio Oliveira e aos 76 minutos, Tozé igualava o marcador. Dois ex-jogadores portistas a fazerem o gosto ao pé na sua antiga casa. Esperava-se uma reação dos campeões nacionais, mas o que assistimos foi à reviravolta do marcador por parte dos minhotos. Davidson despeja, aos 87 minutos, um verdadeiro balde de água fria no Estádio do Dragão ao fazer o 2-3 para o Vitória SC. No período de descontos, Herrera e Marega dispuseram de oportunidades soberanas para salvar o FC Porto da derrota, mas não as conseguiram concretizar.

Assistimos assim à primeira derrota da equipa de Sérgio Conceição no campeonato. Uma segunda parte horrível, à imagem da semana passada frente ao Belenenses, fez com que o FC Porto perdesse uma vantagem de dois golos. Para além disso, perdeu também a oportunidade de ultrapassar os seus rivais e isolar-se, provisoriamente, no topo da classificação. Já o Vitória SC conquistou os seus primeiros pontos desta Liga NOS e mostrou aos mais céticos que estão bem vivos e prontos para lutar pelos objetivos do clube.

 

Daniel Sousa

Nascido e criado na Ilha da Madeira e neste momento a estudar Ciências da Comunicação na FCSH. Com um gosto enorme pelo futebol e pela escrita, está sempre aberto a novos desafios.

Deixe uma resposta