Sousa Cintra na despedida: “O Sporting honrou todos os compromissos”

Em dia de eleições em Alvalade, o líder sportinguista dos últimos dois meses e meio declarou sucesso na sua condução dos destinos do clube. Desde os reforços que trouxe, os pagamentos de transferências em dia, até ao equilíbrio da folha salarial, o empresário esclareceu vários temas à’ Bola.

Só faltou trazer a cama para o Sporting, pois era sempre o último a sair do Sporting, sábados e domingos sempre a trabalhar, sozinho ali mas a ver todas as coisas que havia a resolver. E a verdade é que conseguiu-se, com grande trabalho e sucesso. Consegui trazer para o Sporting os jogadores que eram de importância capital para enfrentarmos o desafio do campeonato. O Sporting tem de lutar sempre pelo primeiro lugar! Reforços que vieram, tudo jogadores de categoria, jogadores de seleção! E depois unir o plantel. É importante ter uma equipa de futebol unida com o treinador e a equipa técnica, com aquele compromisso de vencer, é sempre importante na vida, o compromisso. E isso conseguiu-se em tempo recorde”, começou por dizer Sousa Cintra em entrevista ao diário desportivo A Bola, no balanço do período em que liderou a Comissão de Gestão.

A imprensa nacional veiculou recentemente informações de que o Sporting teria o pagamento de Raphinha ao Vitória de Guimarães em atraso, tal como outras obrigações com o SC Braga. Mas Sousa Cintra afirma que esses pagamentos estão em dia:

“O Sporting honra os seus compromissos pontualmente, todos. Temos todos os ordenados em dia, também com funcionários, impostos e segurança social e com os outros clubes. Até transferências, alguma comunicação social falou no caso do Raphinha: o Sporting pagou ao V. Guimarães, pagou 3,5 milhões de euros. Com o SC Braga? O Sporting pagou tudo ao SC Braga. O Sporting honra os seus compromissos com os seus fornecedores. Tive de tomar medidas, se calhar, desagradáveis, mas se estava ali era para resolver os problemas. E sempre digo que as pessoas têm de ter coragem para resolver os problemas”, disse Sousa Cintra, que já havia sido Presidente do Sporting entre 1989 e 1995.

Outro dos dossiês destes dois meses e meio foi o reequilíbrio da folha salarial, que foi conseguido com sucesso na perspetiva de Cintra.

Tive de mandar embora 42 jogadores. Não faziam falta: uns foram emprestados, outros rescindiram contrato. 42 é muita coisa. E conseguimos sacar meia dúzia deles no mercado, todos bons, de eleição! Isso é que importa resolver. Baixámos significativamente a folha de vencimentos mensal da SAD, sim, em mais de dez milhões de euros. Era muito importante. O Sporting está hoje cheio de vitalidade, a lutar para conquistar o campeonato! Gosto de falar sempre em coisas positivas: digo sempre que quem não acredita na vitória está derrotado à partida”, afirmou.

David Silva

Contar a minha história é falar de futebol. Primeiro, a paixão. Depois, a prática. Em seguida, uma deslocação de 71km entre a Lourinhã e a NOVA/FCSH, onde concluí o curso de Ciências da Comunicação, em 2019. Pelo meio, nove meses de estágio memoráveis no Canal 11, na Cidade do Futebol. E por fim, a paixão. Sempre.

Deixe uma resposta