Fernando Santos já estreou 38 jogadores na Seleção Portuguesa

Depois das mais recentes estreias de Hélder Costa, Pedro Mendes e Cláudio Ramos, frente à Escócia, o Engenheiro já estreou 38 atletas na principal categoria internacional portuguesa.

O selecionador português promoveu a estreia de quase quatro dezenas de jogadores desde setembro de 2014, perfazendo cerca de dez atletas por ano.

Hélder Costa, de 24 anos, foi titular e teve uma grande estreia, pois foi o autor do primeiro golo de Portugal. Já Pedro Mendes, defesa do Montpellier, entrou durante a segunda parte, tal como o guarda-redes Cláudio Ramos, do Tondela, que entrou para o lugar de Beto.

Recorde aqui todos os jogadores estreados por Fernandos Santos na Seleção Nacional:

11/10/2014 França (F), 1-2 Cedric e João Mário.
14/11/2014 Arménia (C), 1-0 Raphael Guerreiro.
18/11/2014 Argentina (N), 1-0 José Fonte, Tiago Gomes e Adrien Silva.
31/03/2015 Cabo Verde (C), 0-2 Anthony Lopes, André Pinto, Paulo Oliveira, Bernardo Silva, André André, Ukra e Danilo.
16/05/2015 Itália (N), 1-0 Daniel Carriço.
11/10/2015 Sérvia (F), 2-1 Nélson Semedo.
14/11/2015 Rússia (F), 0-1 Gonçalo Guedes, Ruben Neves, Lucas João e Ricardo Pereira.
25/03/2016 Bulgária (C), 1-0 Renato Sanches.
01/09/2016 Gibraltar (C), 5-0 André Silva e João Cancelo.
07/10/2016 Andorra (C), 6-0 Gelson Martins.
28/03/2017 Suécia (C), 2-3 Marafona.
10/11/2017 Arábia Saudita (C), 3-0 Bruma, Bruno Fernandes, Edgar Ié e Kévin Rodrigues.
14/11/2017 Estados Unidos (C), 1-1 Gonçalo Paciência, Ricardo Ferreira e Ronny Lopes.
26/03/2018 Holanda (N), 0-3 Mário Rui.
28/05/2018 Tunísia (N), 2-2 Rúben Dias.
06/09/2018 Croácia (C), 1-1 Sérgio Oliveira e Gedson Fernandes.
14/10/2018 Escócia (F), 0-1 Hélder Costa, Pedro Mendes e Cláudio Ramos.

David Silva

Contar a minha história é falar de futebol. Primeiro, a paixão. Depois, a prática. Em seguida, uma deslocação de 71km entre a Lourinhã e a NOVA/FCSH, onde concluí o curso de Ciências da Comunicação, em 2019. Pelo meio, nove meses de estágio memoráveis no Canal 11, na Cidade do Futebol. E por fim, a paixão. Sempre.

Deixe uma resposta