Gunners vencem Sporting e fazem história em Portugal

O Arsenal venceu esta tarde no terreno do Leão por uma bola a zero, em jogo a contar para a terceira jornada da fase de grupos da Liga Europa. O único golo da partida surgiu por intermédio de Wellbeck, aos 77 minutos.

A partida começou com novidades nos onzes para ambos os lados. No Sporting, José Peseiro mexeu na baliza: Renan assumiria a defesa das redes leoninas e sentava Salin. Numa espécie de 4-1-4-1, o técnico português reforçou o meio campo com Petrovic e colocou Bruno Fernandes na ala esquerda.

Do lado dos gunners, a revolução no 11 inicial foi total, em relação ao último jogo da equipa londrina na passada segunda-feira frente ao Leicester. O eixo da defesa foi formado por Rob Holding e Sokratis e Xhaka jogou a lateral esquerdo. Na frente de ataque, Aubameyang substituiu Lacazzete, que começou a partida no banco.

Um bom arranque 

E a partida teve um bom começo para os leões. O Arsenal teve sempre mais bola durante a primeira parte, é certo.

Peseiro apostou num meio-campo reforçado

Mas o Sporting conseguiu explorar as fraquezas da equipa londrina e criar vários lances de perigo. O Arsenal acabou por jogar a primeira parte na defesa, com um Sporting a pressionar bastante. Era um leão que tentava assumir o jogo e que demonstrava mais vontade de chegar ao golo. Faltou uma maior eficácia e assertividade nos lances.

Chegou o intervalo e registava-se o nulo no marcador. Os adeptos tinham razões para estarem satisfeitos: o Sporting conseguiu ser superior e criar mais lances de perigo, apesar da maior posse de bola dos ingleses.  Mas 15 minutos de intervalo bastaram para mudar o destino do jogo.

Intervalo com efeitos diferentes

O intervalo fez bem ao Arsenal. A equipa voltou a subir ao relvado com um novo espírito. As palavras de Unay Emery terão tido efeito, ou talvez simplesmente a atitude dos jogadores mudou. Certo é que o domínio inicial dos leões se esfumou, e os papéis inverteram-se.

Os gunners aumentaram o seu fluxo ofensivo, obrigando os verdes e brancos a recuar no terreno. O meio campo reforçado preparado por Peseiro não foi suficiente para travar a equipa visitante, que continuava a subir no terreno. Por esta altura, os leões pareciam algo perdidos no jogo, sem conseguirem ter o domínio que registaram na primeira metade da partida.

Renan tinha cada vez mais trabalho e teve de se aplicar para travar várias bolas que a sua defesa não conseguiu amparar. Aos 67 minutos, Wellbeck introduz mesmo a bola na baliza leonina, mas o golo é anulado por falta do avançado sobre Bruno Gaspar.

O erro fatal

Se antes Wellbeck ameaçou, aos 78′ concretizou. O avançado inglês aproveita uma falha defensiva de Coates e desfaz o nulo no marcador. Balde de água fria em Alvalade, a poucos minutos do fim da partida.

Wellbeck fez o segundo golo em três jogos na Liga Europa

Parecia difícil para os verdes e brancos chegar sequer ao empate, com a equipa da casa a ressentir o 1-0. Jovane Cabral, que havia entrado minutos antes, foi quem mais tentou chegar à baliza de Leno, mas sempre sem sucesso.

O jogo chega ao fim e o apito final dita que é o Arsenal a levar para casa os 3 pontos. O Arsenal segue em primeiro lugar no grupo com um registo 100% vitorioso. Foi a 11ª vitória seguida para o Arsenal em todas as competições. Os gunners fazem ainda História, ao vencer pela primeira vez em Portugal, ao fim de 7 jogos. Quanto à equipa leonina, está no segundo lugar do grupo E, com 6 pontos. Soma agora duas vitórias, uma derrota, quatro golos marcados e dois sofridos na competição europeia.

Veja ou reveja o golo inglês em baixo, juntamente com as estatísticas da partida:

Rui Casanova

Sou natural de Portalegre e resido em Lisboa, onde estudo Ciências da Comunicação na NOVA-FCSH. O Futebol está no sangue da minha família desde sempre e materializo a paixão pelo desporto rei através da escrita.

Deixe uma resposta