Um “Super Moreirense” e uma águia a voar baixo

O Sport Lisboa e Benfica perdeu esta noite por três bolas a uma frente ao Moreirense na Luz. O Benfica falha o assalto à liderança e soma assim a terceira derrota consecutiva em todas as competições.

Depois da derrota por 2-0 frente ao Belenenses no Jamor, o Benfica tentava voltar às vitórias e subir ao primeiro lugar do campeonato. O Moreirense procurava consolidar o seu lugar a meio da tabela classificativa. Mas os cónegos surpreenderam na luz e derrotaram um Benfica bastante em baixo de forma. A equipa do norte foi mesmo bastante superior e dominou no terreno da águia.

Primeiro a bonança… depois a tempestade 

E o jogo parecia começar bem para os encarnados. O Benfica entrou forte na partida e, logo aos 2 minutos, Jonas abriu o marcador, assistido por João Félix. O atacante brasileiro fez o golo 100 no campeonato. Contudo, pouco depois, aos 4 minutos, Chiquinho (ex-Benfica) empatou a partida. Começava o pesadelo da águia.

Poucos minutos volvidos, e os cónegos chegam novamente à baliza de Odysseas. Estava feito o 2-1, por intermédio de Pedro Nuno (também ele ex-Benfica) e o Moreirense colocava-se na frente do marcador. Por esta altura, o Benfica ainda conseguiu realizar boas jogadas, sem nunca, no entanto, ter a frieza e eficácia para finalizar e relançar a partida. Adensava-se o pesadelo. O Moreirense conseguia sair a jogar facilmente e criar vários lances de perigo.

Uma nuvem negra na Luz

O jogo estava a chegar ao intervalo. Mas, aos 36 minutos, há novo golo para a equipa de Moreira de Cónegos. Loum estreia-se a marcar no campeonato, assistido por Chiquinho. O Moreirense, que até a esta partida apenas somava seis golos no campeonato, conseguiu a proeza de fazer três tentos na Luz. Era cada vez mais evidente a desorientação dos pupilos de Rui Vitória.

Após o intervalo, Pizzi e André Almeida ficaram nos balneários e Rui Vitória lançou Salvio e Castillo. E, durante os minutos inicias, parecia que o Benfica voltava com mais atitude e vontade de chegar à vitória. Mas, novamente, viu-se um Benfica “desorientado” no jogo, sem capacidade de realizar uma jogada com princípio, meio e fim. Adensou-se também o excessivo individualismo. Foram poucos os lances de verdadeiro perigo para a baliza de Jhonatan, guardião dos cónegos. Por outro lado, o Moreirense mantinha o jogo de qualidade e continuava as jogadas perigosas e rápidas.

Antes de um livre perigoso de Jonas, com a bola a esbarrar nas mãos de Jhonatan, Jardel é expulso e complica ainda mais o jogo do Benfica. O defesa-central brasileiro deu uma cotovelada a Arsénio enquanto Jonas preparava o lance.

A tempestade continua

O jogo chegava ao fim sem alterações no marcador. Um surpreendente 1-3 fica para a História, com o Moreirense a vencer pela primeira vez na casa de um grande. O pesadelo das águias adensa-se. É a segunda derrota consecutiva no campeonato e aumenta cada vez mais a contestação dos adeptos em torno de Rui Vitória.

Rui Casanova

Sou natural de Portalegre e resido em Lisboa, onde estudo Ciências da Comunicação na NOVA-FCSH. O Futebol está no sangue da minha família desde sempre e materializo a paixão pelo desporto rei através da escrita.

Deixe uma resposta