Festival de golos acaba com Porto nos quartos

Numa partida em que os golos compareceram em massa, o Porto venceu o Moreirense por 4-3 no Estádio do Dragão e carimbou a sua passagem para os quartos-de-final da Taça de Portugal.

Cerca de 16 mil pessoas assistiram a um grande jogo de futebol, esta noite, no Estádio do Dragão. Porto e Moreirense discutiam a passagem à próxima fase da Taça de Portugal e os adeptos (de futebol principalmente) não podiam ter pedido melhor espectáculo.

Ainda nem estavam decorridos 20 minutos e o marcador já possuía 3 golos. O primeiro pertenceu ao Moreirense. Por volta do minuto 9, cruzamento de Heriberto e David Teixeira congelou o Dragão. Contudo, pouco tempo durou esta vantagem. Otávio saiu lesionado aos 10 minutos e para o seu lugar entrou Hernâni. A entrada do extremo português deu outra velocidade ao jogo portista que estava adormecido até então. Aos 13 minutos, Felipe empatava o jogo com uma cabeçada fulminante e aos 16’ Hernâni consumava a reviravolta.

A partir do momento em que chegou à vantagem, o Porto obteve o domínio total da partida. O ritmo que os comandados de Sérgio Conceição impunham no jogo era demasiado para os Cónegos e o resultado só não se dilatou devido à extrema ineficácia dos Dragões. Como se costuma dizer, quem não marca sofre e se os portistas estavam a ser ineficazes, o Moreirense foi o extremo oposto. Depois de vários minutos de sofrimento, a equipa do concelho de Guimarães chegou ao empate, em cima do intervalo, numa das escassas oportunidades de que dispôs. 2-2 era o resultado no fim do primeiro tempo.

Na segunda metade o domínio do Porto desapareceu parcialmente. A equipa começava a sentir dificuldades para criar situações de perigo, muito por culpa de Ivo Vieira. A entrada de Halliche ao intervalo colocou o Moreirense a jogar com 5 defesas e os azuis e brancos começaram a deixar de chegar à baliza defendida por Trigueira com a mesma facilidade que no primeiro tempo. No entanto, a mudança tática não conseguiu conter Marega.

O maliano continuou o seu excelente momento de forma e resolveu o jogo para o Porto. Apesar da sua incapacidade para colocar a bola na baliza em algumas situações (o golo falhado aos 58 minutos é algo inexplicável), Marega foi, mais uma vez, o abono de família dos campeões nacionais. Aos 66’ colocou os Dragões em vantagem e aos 89’ garantiu a vitória portista com um golo de excelente nota artística. Até ao final do jogo tempo ainda para um grande golo de Heriberto, mas a passagem aos quartos já não fugiu ao Porto.

14º vitória consecutiva para os comandados de Sérgio Conceição que se mantêm numa forma soberba e que nos deixa a pensar quem será capaz de os parar. Quanto ao Moreirense, apesar da eliminação, devem sentir-se orgulhosos da excelente exibição que realizaram e das dificuldades que causaram a uma equipa que, pelo que parece, ninguém consegue bater.

Daniel Sousa

Nascido e criado na Ilha da Madeira e neste momento a estudar Ciências da Comunicação na FCSH. Com um gosto enorme pelo futebol e pela escrita, está sempre aberto a novos desafios.

Deixe uma resposta