Das Aves leva a Águia a melhor

Ao Benfica o empate bastava. O Aves tinha que ganhar. Em disputa estava um lugar na Final Four da Taça da Liga.  Na antevisão, Rui Vitória afirmou que a sua equipa não iria às Aves para fazer o serviço mínimo. E o onze inicial dos encarnados comprovou-o: Rui Vitória apenas deu descanso a Jonas, Grimaldo e Vlachodimos. Para os seus lugares entraram, respetivamente, Seferovic, Yuri Ribeiro e Svilar. Na sua equipa, José Mota promoveu várias alterações.

Primeira parte fria

Aves e Águias, foram os da casa a entrar mais forte. A equipa do norte mostrou ao que vinha desde cedo: os ataques perigosos foram constantes e a bola rondou a baliza de Svilar. Destaque para Derley e Baldé, que logo nos primeiros minutos afiguraram-se como os mais perigosos para a defesa encarnada. No Benfica, destaque para Zivkovic, cuja inteligência iluminou um pouco uma primeira parte apagada das águias. O Aves estava mais forte no jogo e mais perigoso. Mas o jogo ia para o intervalo com o nulo no marcador.

A máquina Avense

Na segunda parte, o Aves jogava o tudo ou nada. O Benfica procurava contrariar a veia ofensiva dos da casa, mas não foi suficiente. Aos 49 minutos, Baldé cabeceia para o golo, após um grande cruzamento de Rodrigo. 1-0 nas Aves. Logo depois, saltava para aquecimento Jonas, que viria a substituir Cervi. O Benfica precisava de chegar ao golo, mas nesta altura o Aves controlava o jogo. A experiência de jogadores como Vítor Gomes ajudou, com a equipa a conseguir controlar a posse e aproveitar o nervosismo dos encarnados. No Benfica, Fejsa ia travando as investidas do Aves.

1-1 amargo

Foram precisos 20 minutos para o Benfica empatar. Zivkovic, um dos jogadores em destaque em todo o jogo, investe pela esquerda e mete em Seferovic. O suíço domina com classe e ganha o duelo com Bernardeu. Estava feito o desejado 1-1 para a equipa de Rui Vitória. Seria o suficiente?

Para o Aves, claramente não. José Mota esgotou todas as substituições e lançou jogadores para o ataque. O Aves continuava por cima e terminou mesmo o jogo a encostar os pupilos de Rui Vitória, que não mais conseguiram chegar com perigo à baliza adversária.

1-1. Serviço mínimo garantido: como dissemos no início, ao Benfica o empate bastava. E assim foi. Noite inglória para a equipa de José Mota, que merecia mais pelo bom jogo que realizou. Os encarnados seguem em frente na Taça da Liga, tendo garantido o lugar na Final Four.

Figuras do jogo

Benfica: Seferovic. Pelo golo, e pouco mais. O avançado suíço esteve muito apagado. Certo é que foram poucas as oportunidades que teve para marcar presença no jogo. Destaque ainda para Zivkovic, um dos melhores das águias, e o regresso de Salvio, após dois meses por lesão.

Aves: Por onde começar? A turma de José Mota funcionou muito bem no coletivo e mostrou-se unida e determinada em chegar à vitória. Destacamos Vítor Gomes, Derley e Rodrigo. A equipa foi bastante ofensiva e a experiência de certos jogadores valeu o controlo quase total do jogo. Todavia, alguma ineficácia e falta de sorte ditaram o fim do caminho para o Aves na prova.

Foto: LUSA

Rui Casanova

Sou natural de Portalegre e resido em Lisboa, onde estudo Ciências da Comunicação na NOVA-FCSH. O Futebol está no sangue da minha família desde sempre e materializo a paixão pelo desporto rei através da escrita.

Deixe uma resposta