Leões voltam a subir ao segundo lugar após derrotarem o Belenenses

O Sporting venceu esta quinta-feira (3) o Belenenses SAD por 2-1, em Alvalade, voltando a subir ao segundo lugar da I Liga. 

O Belenenses entrou bastante forte em jogo. Com uma linha de cinco defesas bastante subida, procuraram exercer desde logo uma forte pressão na zona de construção verde e branca, forçando o Sporting a cometer erros atrás de erros. Logo nos primeiros cinco minutos, aproveitando os erros leoninos, Licá rematou por duas vezes, na cara do golo, sem qualquer força ou colocação. Talvez precisasse de mais uma rabanadas. Porém, agora só no dia de Reis se justificaria “voltar a comer doces”.

O “peso” da passagem de ano e do Natal certamente não se fez notar neste jogo. Ainda que o Sporting parecesse entrar meio a dormir, rapidamente se viram lances com bastante perigo de parte a parte. O Sporting começou com bastantes dificuldades em construir, fruto do bloco bastante subido da turma de Silas. Renan via-se obrigado a optar pelo pontapé longo para tentar contrariar esta primeira linha de pressão do Belenenses.

A partir daí, os leões conseguiram voltar a equilibrar o jogo e a começar a chegar com perigo à área de Muriel. O Sporting tinha mais posse e parecia ter o jogo controlado, até que Fredy intercetou um passe de Acuña para Coates, e passado uns bons metros, já no interior da área, disparou um autêntico míssil que fez estremecer os postes de Renan. O Natal já passou, mas as equipas portuguesas tendem a continuar no espírito natalício e a oferecer lances “quase-golo”.

Porém, amor com amor se paga. Minutos depois, após um autêntico Tiki-Taka da turma de Keizer, Nani mandou uma bomba ao poste que fez vibrar as bancadas de Alvalade.

O jogo seguia para intervalo empatado, com um Sporting, cheio de dificuldade em entrar na área dos “azuis”, fruto de uma defesa de três centrais do Belenenses muito bem articulada.

A intensidade pareceu esgotar-se na primeira parte. Entravamos na segunda metade, com um ritmo de construção muito mais lento de parte a parte. As dificuldades dos leões para chegarem à área continuavam, bem como a consistência defensiva do Belenenses. Silas lá procurou agitar o jogo e mexeu na equipa, abdicando de um dos centrais para lançar Henrique na frente do ataque, com Fredy e Licá a descaírem para as alas, num 4-3-3. Porém, foi o Sporting que acabou por inaugurar o marcador. Passividade defensiva dos “azuis”, com Bruno Gaspar a entrar na área e a disparar na passada.

A partir daí, passamos a ver um Sporting a gerir a vantagem e um Belenenses à procura de erros e espaços para se relançar na partida. Como tal, o espaço para os leões  jogarem ia sendo cada vez maior. Miguel Luís, ao minuto 80, matou o jogo com um remate sem qualquer hipótese para Muriel.

O jogo continuou e as chances aumentaram. O Sporting podia ter alargado a diferença. No entanto, foi mesmo o Belenenses que acabou por reduzir ao minuto 90, com Fredy a aproveitar a recarga.

Após o golo de Fredy, haviam ainda 4 minutos de compensação pela frente, que eram mais do que suficientes para a turma de Silas dar a volta. Mas, faltou discernimento. Quatro minutos, zero futebol. A tensão subiu e Acuña e Diogo Viana, num desentendimento, acabaram a envolver praticamente todos os jogadores. Saíram faltas e cartões a torto e a direito até ao apito final. E jogar futebol? Isso deixou de se ver após o golo de Fredy.

O Sporting entrou assim da melhor maneira em 2019. Foi, de facto, um autêntico “ano novo, vida nova” leonino, que aproveitou o deslize dos encarnados em Portimão. Para o Benfica o que se viu foi mais uma espécie de “ano novo, mais do mesmo”.

Os leões sobem assim ao Segundo Lugar da Tabela Classificativa, ficando a dois pontos do líder (Porto).

João Dias

Natural de Coimbra, frequenta a licenciatura de Ciências da Comunicação na NOVA FCSH. É movido pelo amor à escrita e sonha concretizar essa paixão nas áreas ligadas ao desporto, cultura e atualidade. É praticante de Badminton e fã de Game of Thrones, nas horas vagas.

Deixe uma resposta