Félixmania na receção ao Boavista

Fazia-se sentir uma noite típica de inverno no Estádio da Luz. Muito frio e chuva ajudam a explicar a pouca afluência dos adeptos benfiquistas à sua Catedral, que a 15 minutos do apito inicial se encontrava praticamente despida. Os que marcaram presença, viram um João Félix que jogou, fez jogar e que embelezou ainda mais a exibição dos encarnados.

Bruno Lage repetiu o onze da meia-final da taça da liga, frente ao FC Porto enquanto Jorge Couto, que orientava o Boavista de forma interina, fez várias mudanças, tanto no meio-campo como no ataque, em relação ao último jogo, frente ao Portimonense.

O SL Benfica entrou melhor no jogo e criou diversas oportunidades de golo. Quando o Boavista recuperava a bola, a pressão dos jogadores da equipa da casa era intensa, o que não permitia que os forasteiros tivessem a bola na sua posse por mais de dois ou três segundos.

A primeira oportunidade de golo pertenceu mesmo aos pupilos de Jorge Costa, que viram Tahar falhar no frente a frente com Odysseas, depois de uma oferta do médio benfiquista Gabriel.

O primeiro tento apareceu à passagem do minuto nove, com o miúdo João Félix a aparecer ao segundo poste e a cabecear para o fundo das redes de Hélton Leite, depois do livre lateral batido por Pizzi.

A toada benfiquista mantinha-se, o que trouxe consigo o segundo golo benfiquista, desta vez apontado por Pizzi, que só teve de encostar perante uma defesa incompleta do guardião boavisteiro.

Ainda antes do intervalo, e completamente contra a corrente de jogo, os axadrezados reduziram a desvantagem por Talocha, na sequência de um pontapé de canto.

Os intervenientes recolheram ao balneário com um 2-1 no marcador, que acabava por ser escasso para a grande exibição que o Benfica tinha conseguido nesta primeira parte.

Na segunda metade, o Boavista entrou mais compacto o que levou à diminuição da “avalanche” ofensiva que se verificara na etapa complementar. Foram dos axadrezados os primeiros sinais de perigo, com Perdigão a testar a atenção de Odysseas.

A qualidade coletiva do SL Benfica acabou por se sobressair e o Boavista FC pouco ou nada podia fazer para o contrariar. Os encarnados apontaram mais três golos: Seferovic bisou e Grimaldo fechou o marcador à lei da bomba.

Em cima dos 90′, Samaris cometeu uma falta dentro da grande área, mas Odysseas defendeu a grande penalidade batida por Mateus.

Com o 5-1 registado no marcador no final da partida, o Benfica fica provisoriamente a dois pontos do primeiro classificado, FC Porto, que joga amanhã frente ao Belenenses SAD. Ainda de forma tímida, os adeptos benfiquistas já pedem o “37” aos seus jogadores.

João Ferreira

Um jovem apaixonado por futebol que encontrou neste projeto a essência do seu verdadeiro amor.

Deixe uma resposta