Dragões regressam aos quartos da Liga Milionária após uma reviravolta poética

O FC Porto estás nos quartos de final da UEFA Champions League após vencer a AS Roma, no prolongamento por 3-1 ( 4-3 no aglomerado total). Tiquinho Soares, Marega e  Alex Telles apontaram os golos portistas, enquanto De Rossi apontou o golo da turma italiana. 

O FC Porto partia para esta eliminatória em desvantagem, após a derrota em solo italiano por 2-1. Depois da derrota do passado fim de semana, Sérgio Conceição queria demonstrar uma versão diferente da turma azul e branca. Militão de regresso ao onze, e Brahimi no banco foram as principais novidades.

Os dragões entraram mais fortes na partida, e cheios de vontade de dar a volta na eliminatória.Depois de algumas oportunidades, o FC Porto chegou à vantagem ao minuto 26 por Tiquinho Soares. Recuperação de Marega, condução de Corona ( um dos melhores em campo) e golo do avançado brasileiro. Vantagem justa da turma azul e branca que reponha justiça no marcador.

O FC Porto estava bem, e nada previa o que se passou ao minuto 36. Disparate de Militão,e penalti para a Roma. Na marca dos onze metros, De Rossi não falhou e coloca Roma em vantagem, um a um no marcador.

Até ao final da primeira parte, o destaque para um grande remate de Herrera, que Olsen defende para canto.  Apesar do claro domínio portista, era a Roma quem mais motivos tinha para sorrir  ao intervalo.

No segundo tempo o FC Porto vou a entrar melhor e teve varias oportunidades para evitar o prolongamento.  Primeiro foi Soares de cabeça aos 49′, depois Marega aos 51′. As oportunidades iam-se sucedendo até ao sucesso. Minuto 53, Corona recuperou a bola e cruzou ao segundo poste para Marega surgir solto nas costas de Marcano e atirar para o golo. Eliminatória empatada no dragão… e esperança azul e branca renovada.

Já com Brahimi e Oliver em campo, ambas as equipas aprensatavam um futebol mais calculado. O FC Porto apostava em Brahimi para mexer o jogo, já a Roma fez entrar Bruno Cristante. A equipa portuguesa era aquela que demonstrava mais vontade em alterar o rumo dos acontecimentos, mas do outro lado estava um inspirado Olsen.

Decorridos 90 minutos de jogo, o jogo seguiu para prolongamento. A confiança reinar no dragão, e massa adepta azul e branca acreditava que os quartos eram possíveis.

Ao contrário do que se previa o Porto apareceu mais desgastado nestes 30 minutos, onde aparecia uma Roma mais perigosa. Filipe e Pepe foram importantíssimos, a segurar a eliminatória.  O golo portista apareceu ao minuto 114. Florenzi agarrou Fernando Andrade na área e Cuneyt Çakir após rever o lance no VAR, confirmou o penalti. Na marca dos onze metros Alex Telles não falhou, e… festa no estádio do dragão.

Quatro anos depois, o FC Porto volta aos quartos de final da Liga dos Campeões e recebe mais 10,5 milhões nesta campanha internacional.

 

 

 

 

Cristiana Pina

Licenciada em Comunicação Social pela ESEV. Sou uma pinhelense de gema que adora futebol e toda a magia que lhe é inerente. Escrever é uma das minhas grandes paixões.

Deixe uma resposta