Leões sem medo da chuva

O Sporting bateu o Rio Ave por 3-0, no Estádio de Alvalade. Dois golos na primeira parte e uma obra de arte de Wendel, na segunda parte, deram os três pontos aos leões de forma fácil. Destaque ainda para o regresso de Rúben Semedo e Fábio Coentrão ao Estádio de Alvalade.

Depois de uma vitória moralizadora contra o Benfica e consequente apuramento para a final da Taça de Portugal, o bom momento do Sporting continua. Sem Bas Dost na frente mas com Luiz Phillipe e Mathieu de início, o Sporting partiu como favorito frente a um Rio Ave sem baixas de relevo antes da partida.

A chuva miudinha acabou por ser o motivo de maior embaraço para os leões, visto que o Rio Ave foi incapaz de incomodá-los verdadeiramente. Os lances de perigo da primeira parte foram de maior quantidade para o lado sportinguista, e com maior aproveitamento também. O Sporting inaugurou cedo o marcador por intermédio de Luiz Phillype, aos 12′. Contra-ataque rápido gizado por Wendel, que abriu para o ex-Paços de Ferreira faturar pela terceira vez no campeonato.

Bruno Fernandes foi, sem surpresa, o melhor jogador em campo. O médio conseguiu o inevitável tento através de uma grande penalidade, aos 36′. Messias carregou em falta Luiz Phillype, tendo Luís Godinho assinalado bem o penalti.

A segunda parte só confirmou o domínio sportinguista, ainda que não tenha sido traduzido em números desiguais de posse de bola (fixou-se nos 50/50) . Jovane Cabral entrou ao intervalo, substituindo o queixoso Cristian Borja. Dez minutos depois do reinício do encontro, o momento da noite: Wendel recebe à entrada da área e desfere um remate preciso em direção da baliza de Léo Jardim. Este disparo em arco do brasileiro representou o primeiro golo deste no campeonato.

A partir daí, Keizer limitou-se a gerir o jogo, já que Daniel Ramos tardou na tentativa de alterar o seu rumo. O croata Jambor e o extremo Nuno Santos, que esteve parado durante onze meses, entraram bem no jogo mas repercussão tangível. Teve que ser o trintão Tarantini a ameaçar a baliza de Renan, que quase deixava escapar a bola para dentro da baliza aos 75′. Outro vila-condense muito interventivo nesta partida foi Rúben Semedo, de coração dividido nesta noite.

A chuva afastou os adeptos sportinguistas de Alvalade (26.000 espetadores) mas atraiu os golos da equipa da casa, que está isolada no terceiro lugar do campeonato. Já o Rio Ave está fora da luta europeia e da despromoção, pelo que Daniel Ramos necessita de evitar a complacência até final da temporada. Esta derrota foi um tiro de aviso.

 

David Silva

Contar a minha história é falar de futebol. Primeiro, a paixão. Depois, a prática. Em seguida, uma deslocação de 71km entre a Lourinhã e a NOVA/FCSH, onde concluí o curso de Ciências da Comunicação, em 2019. Pelo meio, nove meses de estágio memoráveis no Canal 11, na Cidade do Futebol. E por fim, a paixão. Sempre.

Deixe uma resposta