Sonho portista esbarra na ineficácia de Marega

Noite de jogo grande em Anfield Road. O Porto visitava Liverpool com o intuito de alcançar um bom resultado que mantivesse a eliminatória viva para a segunda mão. Uma derrota por 2 bolas a zero foi o resultado final. A diferença de qualidade entre as duas equipas falou mais alto e não se antecipa tarefa nada fácil para os Dragões, na segunda mão.

Os azuis e brancos entraram em campo com a estratégia bem definida. O 4x4x2 do costume a atacar, mas a defender Corona baixava, Maxi fechava e a equipa passava para uma linha de 5 lá atrás. Desde cedo que tal não teve o efeito desejado e aos 5 minutos o Liverpool já se encontrava na frente. Keita, à entrada da área, rematou forte e um desvio de Oliver traiu Casillas. Mau começo para a turma portuguesa.

A equipa portista tentou responder e até conseguia chegar algumas vezes à área adversária, dando a ideia de um jogo equilibrado. No entanto, tal não passava de uma ilusão. Sempre que a frente de ataque dos reds decidia acelerar o jogo, as dificuldades da defensiva portista eram evidentes. Tal notou-se quando, aos 26 minutos, Roberto Firmino ampliou a vantagem, finalizando, à boca da baliza, uma jogada fantástica que ele próprio iniciou.

Golpe duro para as ambições portistas. Os comandados de Sérgio Conceição encontravam-se com várias dificuldades para manter a bola no meio-campo defensivo inglês, mas até usufruiu de 2 oportunidades de golo para reduzir a desvantagem. Ambas desperdiçadas por Marega. Hoje foi um dia não para o avançado maliano.

O jogo foi para intervalo com um 2-0 no marcador. Nos minutos iniciais do segundo tempo, as dificuldades portistas em ter bola continuavam. Com o objetivo de melhorar neste aspeto, Brahimi foi a jogo. A entrada do argelino levou a que a equipa demonstrasse, na última meia hora do encontro, que talvez ainda tenha uma palavra a dizer nesta eliminatória. Meia hora intensa, com a equipa sem medo de ter a bola e a conseguir assustar o guarda-redes adversário.

No entanto, o esforço portista esbarrou na ineficácia de Marega. O avançado dispôs de mais duas excelentes oportunidades mas, mais uma vez, não conseguiu finalizar da melhor maneira. O jogo terminou com um 2-0 a favor da equipa da casa.

Resultado difícil de aceitar para os Dragões. Em jogos frente a equipas deste calibre, a eficácia é um fator chave. Infelizmente, hoje foi um dia não nesse aspeto e a equipa não conseguiu alcançar o tão desejado “golo fora”. Daqui a uma semana temos novo encontro no Dragão, com a equipa do Porto a enfrentar uma tarefa difícil, mas não impossível.

Daniel Sousa

Nascido e criado na Ilha da Madeira e neste momento a estudar Ciências da Comunicação na FCSH. Com um gosto enorme pelo futebol e pela escrita, está sempre aberto a novos desafios.

Deixe uma resposta