Possível chegada de Perin obriga a movimentações na baliza encarnada

A imprensa nacional e italiana avança esta segunda-feira que a oficialização de Mattia Perin como novo reforço do Benfica estará muito próxima, faltando apenas ultimar pormenores do contrato. A confirmar-se a sua contratação, a chegada do guardião transalpino obrigará a mexidas na baliza encarnada.

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, mão viajou esta segunda-feira com a equipa rumo à sua digressão nos Estados Unidos. Segundo avança o diário desportivo “A Bola” o motivo passará pela necessidade de acelerar o processo de contratação do guarda-redes Mattia Perin, da Juventus. Assim, o presidente terá viajado para Turim com esse mesmo intuito.

Segundo a “Sky Italia“, a transferência será feita a troco de 15 milhões – o mesmo valor pela qual a Juventus contratou o guardião há um ano ao Genoa – faltando apenas ultimar pormenores do contrato.

A confirmar-se esta mudança para Lisboa, Bruno Lage terá assim direito ao seu desejo de um grande nome para a baliza, mas será obrigado a mexidas neste setor. Depois de um ano na Vecchia Signora onde apenas realizou nove jogos e com a chegada do histórico Gianluigi Buffon para ser o número dois da baliza, o guarda-redes transalpino certamente quererá esta mudança por forma a jogar com mais regularidade.

Contudo, esta chegada deverá abrir a porta da saída ao internacional grego Odysseas Vlachodimos. Após uma temporada 2018/2019 onde o guardião helénico participou em 50 partidas, dificilmente aceitará ser o novo número dois das águias. A isto junta-se o facto de Vlachodimos ter algum mercado, pelo que a chegada de Perin deverá significar a sua saída.

Em sentido contrário, estará o belga Miles Svilar. O guardião foi constantemente apontado à saída ao longo deste mercado de transferências por empréstimo, mas caso se confirme a vinda de Perin, o belga ficará para lutar com o russo Zlobin pelo lugar de suplente da baliza do Benfica. Este cenário poderá alterar-se caso a transferência falhe.

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.

Deixe uma resposta