Melhor comeback de sempre? – Arsenal vs Reading 2012

Na rubrica “Domingos Históricos”, desta semana, recordamos um daqueles jogos que explicam a qualidade do famoso futebol inglês. 

Dia 30 de outubro de 2012 estavam frente a frente Arsenal e Reading. Sem dúvida que o Arsenal assumia o favoritismo, mas não foi fácil passar a quarta ronda da Capital One Cup. Um jogo que ficou marcado na história do futebol e da taça pela grande reviravolta que o Arsenal conseguiu fazer.

Madejski Stadium – casa do Reading – foi o palco da partida que vibrou com 12 golos.  Na verdade que começou melhor no jogo foi a equipa da casa. Logo aos 12 minutos Jason Roberts, após um cruzamento, meteu a bola na baliza da equipa londrina. Passados seis minutos, Koscielny mete a bola na baliza. Contudo na baliza errada… Uma jogada infeliz para o defesa dava vantagem ao Reading por duas bolas a zero. Era evidente que o Arsenal não estava nos seus dias, e o próximo golo retrata isso mesmo. Desta seria o guarda-redes Damián Martinez a ficar mal na fotografia. Depois de um remate do meio da rua de Leigertwood, que à partida seria uma defesa fácil , o guarda-redes argentino não conseguiu bater a bola e num lance caricato a bola entrou na baliza. O Reading estava por cima e tinha mais a dizer. Após uma jogada bem formada, o avançado Noel Hunt meteu  a bola na gaveta com um grande cabeceamento. A ganhar 4-0 o Reading só tinha de gerir bem o jogo, enquanto que do outro lado a comitiva de Wenger tinha de marcar para alimentar o sonho. E assim o fez mesmo quase a acabar a primeira parte. Theo Walcott na cara do guarda-redes não perdoou e reduziu a desvantagem no marcador. Quatro bolas a uma a favor do Reading era o resultado ao intervalo.

Começa a segunda parte e o Arsenal vem com outra vontade.  Aos 64 minutos, Giroud, que tinha saltado do banco pouco tempo antes, faz o 4-2 após um canto. Aos 88 foi a vez de Koscielny redimir-se do que tinha feito e, também através de um canto, fazer golo. O Arsenal acreditava e o Reading contava os segundos para acabar o jogo. Últimos segundos do jogo e Walcott faz o empate. Mesmo a acabar o avançado bisou na partida e levou o jogo para prolongamento, numa reviravolta impressionante.

Foram para prolongamento e cansaço do Reading era notório. E foi o Arsenal a marcar de novo. Pela primeira vez o clube londrino esteve na frente do marcador depois de estar a perder 4-0. Chamakh teve tempo e espaço para fazer o golo. Contudo o Reading não baixou os braços e mostrou porque é que esta estava a ser uma partida de outro mundo. Aos 115 minutos, Gunter remata para dentro de área e o russo Pavel Pogrebnyak desviou a bola para dentro da baliza. O marcador estava de novo empatado. O problema é que não foi por muito tempo, e o Arsenal depois de uma jogada de insistência voltou a meter-se na frente. Arshavin insistiu, e Walcott só teve de encostar para fazer o hat-trick. A acabar o jogo e o Reading a fazer de tudo para empatar, Chamakh arrumou o jogo com o golo mais bonito da noite. Após um erro da defesa, Chamakh reparou no adiantamento do guarda-redes e marcou com o famoso “chapéu”.

O Arsenal insistiu e 7-5 foi o resultado final. Wenger passou à próxima ronda depois de um jogo díficil, mas com grande esforço por parte da sua equipa.

No entanto esse esforço foi em vão porque o clube de Londres ficou para trás nos quartos de final, após o desempate em grandes penalidades frente ao Bradford City que chegou à final. O Swansea foi o vencedor da Capital One Cup da época 2012/2013, mas Arsenal e Reading protagonizaram o momento alto da competição.

 

João Marques

Nasci nos Açores, mais propriamente na Ilha Terceira. Actualmente estou a estudar Ciências da Comunicação na NOVA FCSH. O desporto nasceu comigo e a paixão pelas letras já vem desde tenra idade.

Deixe uma resposta