Quem te viu e quem te vê: Fredy Guarín

Chegou ao Porto em 2008 e mostrou ser uma mais valia para o plantel. Aos poucos foi crescendo e demonstrou uma capacidade para estar num lugar melhor. Seguiu o seu caminho, mas e agora? Onde anda Fredy Guarín?

Na rubrica “Quem te viu e quem te vê” desta semana, iremos ver por onde está o médio que chegou ao Futebol Clube do Porto em 2008, vindo do Saint-Étienne. Começou a sua carreira futebolística como quase todos os jogadores do desporto rei, no seu país de origem. Guarín deu início à sua carreira profissional num clube colombiano da cidade de Neiva, o Club Deportivo Atlético Huila. Logo se destacou, visto que, sendo um médio centro e por vezes mais defensivo, aparecia bastante nos jogos e tinha o pé quente. Na sua primeira época como profissional jogou 41 jogos e apontou 11 golos. O futebol colombiano despertou interesse no médio, que na altura tinha 17 anos. Transferiu-se para o Envigado Fútbol Club, onde continuou com boas prestações.

Finalmente saiu do seu país natal, e rumou à Argentina, em 2005/2006, para representar o famoso clube Boca Juniors. Infelizmente, a experiência de Guarín na Argentina não foi a melhor, já que não conseguiu demonstrar o seu potencial e acabou por jogar muito pouco. Por isso, no ano seguinte, foi emprestado ao Saint-Étienne. O médio mexicano custou aos cofres do clube francês 100 mil euros pelo empréstimo, até que no ano seguinte mudou-se em definitivo para o campeonato de França ao custo de 500 mil euros. A verdade é que Fredy Guarín valia mais do que o valor da transferência e por isso o Boca Juniors ficou claramente a perder, não valorizando a sua qualidade. Depois de duas boas épocas ao serviço do Saint-Étienne, foi em 2008/2009 que o médio colombiano chegou a Portugal para representar o FC Porto. Guarín custou um milhão de euros aos dragões.

Chegou a Portugal e só se esperava potencial. Na sua primeira temporada ao serviço do clube do norte, com 23 anos, Guarín tinha tudo para ser lançado para uma grande carreira. E assim o fez. Mostrou que era um médio certo, com uma grande capacidade física, com uma grande capacidade de passe, e com uma grande facilidade de assistir o colega. Foi crescendo, e sem dúvida que a sua melhor temporada ao serviço do FC Porto, foi em 2010/2011, onde fez 44 jogos e apontou 10 golos.  Quem não se lembra do pontapé quase do meio-campo de Guarín na goleada frente ao Marítimo? Depois de uma grande época, os tubarões europeus começaram o ataque pelo médio. Até que o internacional colombiano foi emprestado no mercado de inverno de 2011/2012 ao Inter de Milão por um milhão e meio de euros.

Depois de mostrar que tinha qualidade para dar um passo em frente, o Internazionale decidiu avançar com a compra em definitivo pelo médio colombiano. O médio custou 11 milhões de euros ao clube de Itália. Relembramos que Guarín foi para França por meio milhão de euros, e que custou ao FC Porto um milhão de euros. Sem dúvida que os dragões ganharam e muito com o negócio pelo colombiano. Finalmente Guarín deu um passo na sua carreira, mas por outro lado, e infelizmente, um pouco tarde. O médio quando chegou a Itália tinha já 27 anos. Mas não foi a idade que o impediu de continuar a brilhar nos relvados. Na sua primeira época ao serviço do Inter, o internacional colombiano fez 47 jogos e 10 golos. Foram passando as épocas e o médio foi deixando de aparecer, mas muitos foram os rumores de que o colombiano iria para Inglaterra, e que esteve mesmo perto de assinar pelo Chelsea  . Contudo, foi notável a passagem de Fredy Guarín em Itália.

Depois de um grande passo na sua carreira, para onde seguiu Guarín? A verdade é que o médio colombiano foi para onde o dinheiro falou mais alto. O internacional colombiano rumou para o outro lado do mundo e foi para a China. Assinou pelo Shanghai Shenhua, e custou ao clube chinês 13 milhões de euros. Com mais idade, o médio saiu mais caro ainda do que quando chegou a Itália. Como é óbvio, pelo preço de Guarín, acabou por jogar e espalhar magia pelo campeonato chinês. Nesta última temporada jogou ao lado de El-Shaarawy, e fez 14 jogos onde apontou um golo. Não é considerado um flop, mas a verdade é que a subida de nível de Guarín foi feita muita tarde. Talvez se chegasse à Europa mais cedo, a carreira futebolística do internacional colombiano tinha sido mais risonha, e com certeza muito mais produtiva.

João Marques

Nasci nos Açores, mais propriamente na Ilha Terceira. Actualmente estou a estudar Ciências da Comunicação na NOVA FCSH. O desporto nasceu comigo e a paixão pelas letras já vem desde tenra idade.

Deixe uma resposta