Jorge Jesus e Eduardo Salvio nas meias-finais da Taça Libertadores

Foi mais uma madrugada de futebol na Taça Libertadores e desta feita, Jorge Jesus e Eduardo ‘Toto’ Salvio, nomes bem conhecidos do futebol português, garantiram a passagem às meias-finais.

Tal como havia sucedido na semana passada, o Boca Juniors do antigo extremo do Benfica foi o primeiro a entrar em campo. Os argentinos traziam uma vantagem de 3-0 da primeira-mão, jogada no Equador frente à LDU Quito, portanto tinham talvez a missão mais fácil.

O jogo acabou por espelhar isso mesmo, acabando empatado a zeros. A grande nota de destaque foi para a lesão arrepiante de Christian Cruz ainda na primeira parte – que teve direito a um momento de fair play de Lisandro López, central emprestado pelas águias.

Já Salvio foi substituído nos instantes finais da primeira parte devido a problemas físicos. “Estou um pouco dorido, teremos de ver como irá evoluir. Quando caí não senti dor, só quando me levantei. É um pouco estranho o que senti…

O Boca Juniors fica à espera de saber o resultado do encontro entre o Cerro Porteno e o River Plate, a ser jogado esta quinta-feira, para descobrir o seu adversário. Os argentinos venceram a primeira-mão por 2-0 em casa.

Quanto ao Flamengo de Jorge Jesus, esse foi também a casa do Internacional de Porto Alegre confirmar a passagem à próxima fase depois de ter vencido a primeira-mão em casa por 2-0.

Desta feita, a equipa orientada pelo técnico português com passagens por Braga, Benfica e Sporting, até começou a perder com um golo de Rodrigo Lindoso aos 62 minutos. Contudo, outro bem conhecido do futebol português, Gabriel Barbosa, marcou para o Mengão ao minuto 85 e confirmou a passagem às meias-finais.

Na próxima fase o Flamengo irá defrontar outro clube brasileiro, o Grémio, que venceu o Palmeiras no conjunto das duas mãos devido aos golos marcados fora.

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.

Deixe uma resposta