Fernando Santos faz disparar média de golos de Cristiano Ronaldo

Para além de ter liderado Portugal na conquista do título de campeão europeu e na vitória na Liga das Nações, o Selecionador Nacional Fernando Santos conseguiu ainda disparar a média de golos do capitão Cristiano Ronaldo, acabando com as críticas que antes lhe eram feitas de marcar pouco na Seleção.

Após o Mundial 2010, quando Carlos Queiroz cedeu o seu lugar a Paulo Bento, a média de golos por jogo do agora avançado da Juventus era de 0,3 golos por jogo. Com 23 golos, em 76 jogos, Cristiano Ronaldo precisava há quase uma década de 236 minutos com a camisola das Quinas para marcar um golo.

A chegada de Fernando Santos após o Mundial 2014 veio mudar isso mesmo e hoje Cristiano Ronaldo é um dos melhores marcadores de sempre das Seleções. Desde a sua chegada, o astro português fez um total de 39 golos em 45 jogos.

Com o golo marcado à Sérvia este sábado na vitória por 4-2, o avançado português chegou ao golo 89 pela Seleção das Quinas. Atualmente, leva já uma média de 0,87 golos por jogo na Seleção, ao comando de Fernando Santos. Quer isto dizer que, nos últimos cinco anos, Cristiano Ronaldo marca um golo a cada 95 minutos, o equivalente a quase um golo por jogo.

A sua influência nos golos portugueses é também cada vez maior. Quando Luiz Felipe Scolari estava no comando, CR7 fez 15% dos golos da Seleção. Quando Carlos Queiroz estava no comando fez apenas 4,2% e quando era Paulo Bento o selecionador fez 29,2%. Com Fernando Santos, a percentagem subiu para os 32,2%.

Depois de apagar completamente esta crítica ao nível da quantidade de golos marcados pela Seleção Nacional portuguesa, o objetivo de Cristiano Ronaldo passa agora por chegar aos 100 golos com a camisola portuguesa, bem como tornar-se o melhor marcador de sempre ao nível de Seleções Nacionais. Atualmente esse recorde é detido pelo iraniano Ali Daei, que marcou pela sua Seleção um total de 109 golos.

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.

Deixe uma resposta