Onana: “Quando vi o Nico a ser atirado ao chão, apeteceu-me matar Renato Sanches”

No encontro de ontem entre Ajax-Lille, a contar para a fase de grupos da Liga dos Campeões, Renato Sanches foi protagonista do momento de maior “frisson”, com uma entrada violenta sobre o lateral dos holandeses, Nico Tagliafico.

Como consequência da forte entrada, o português envolveu-se numa acesa troca de palavras com o guardião André Onana, e ambos saíram com cartões amarelos ainda na primeira parte da partida.

O médio português justificou-se alegando uma entrada rígida de Nico Tagliafico e de cabeça quente, reagiu de imediato derrubando o jogador argentino. O guardião do Ajax prontamente travou argumentos com Renato e a atitude valeu a ambos, a advertência com cartão amarelo.

Já com os ânimos bem mais frios e no final da partida, o guarda-redes camaronês explicou o sucedido tendo reconhecido que se excedeu: “O futebol é emoção. Quando vi o Nico a ser atirado ao chão, apeteceu-me matar Renato Sanches, por assim dizer. Por vezes, essas coisas acontecem. Em alguns momentos não pensamos. Admito que cometi um erro”

Além da derrota dos franceses por três golos sem resposta, o internacional português teve uma noite para esquecer, com uma exibição muito aquém das suas capacidades.

Fotografia: EPA

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e por futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os "artistas" brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....

Deixe uma resposta