Jovens águias não vão além de nulo na luta com o Vitória de Guimarães

Num jogo marcado por uma grande rotação da equipa do Benfica, que contou com seis jovens da formação no 11 inicial, as águias não foram além do empate a zero com o Vitória de Guimarães neste jogo a contar para a 1ª jornada da fase de grupos da Taça da Liga. O jogo ficou marcado por um ritmo geral muito baixo de parte a parte, visível através das poucas oportunidades flagrantes existentes.

O anúncio já havia sido feito, mas Bruno Lage operou uma autêntica revolução no 11 do Benfica para o primeiro jogo da fase de grupos da Taça da Liga frente ao Vitória de Guimarães. As águias começaram o jogo com Zlobin na baliza, Tomás Tavares, Rúben Dias, Jardel e Nuno Tavares na defesa. O meio campo ficou ao encargo de Taarabt, Samaris, Gedson e Caio Lucas, enquanto que na frente de ataque começou Jota e Seferovic.

Quanto aos vitorianos, esses mudaram menos a equipa. A grande surpresa foi para a titularidade do médio André Almeida. O jovem formado na Cidade do Berço tinha agora a sua oportunidade na Taça da Liga. Ivo Vieira não parecia ir à Luz para facilitar nesta competição.

Apesar da jovem equipa apresentada por Bruno Lage, os jogadores entraram atrevidos e logo aos dois minutos Jota, numa jogada individual, rematou mesmo a rasar o poste esquerdo da baliza de Douglas.

Apenas três minutos depois foi a vez dos vitorianos mostrarem para o que vinham e à entrada da área Davidson ainda obrigou Zlobin a esticar-se, mas a bola passou por cima.

Os primeiros 15 minutos iam sendo de equilíbrio de parte a parte. Apesar das águias terem mais bola, as oportunidades iam surgindo de ambos os lados. Contudo, nenhuma era em flagrante.

Ao minuto 39 chegou o primeiro lance de controvérsia na Luz. Nuno Tavares cruzou na esquerda, a bola embateu no braço de Sacko, mas Rui Costa entendeu que não se justificava a grande penalidade e mandou seguir.

Já em cima dos 45 minutos o Vitória esteve por duas vezes muito perto de marcar. Primeiro por Pedro Henrique de cabeça e depois a remate de Rochinha os vitorianos acertaram em ambas as vezes na barra da baliza encarnada. Ficou o aviso antes do intervalo.

Chegado ao intervalo, o nulo ia-se mantendo. A equipa minhota ia-se mantendo fiel a si mesma, enquanto que a jovem equipa de Bruno Lage parecia querer mostrar serviço. Apesar de muita energia no último terço do terreno, faltava alguma assertividade na hora da finalização e o Benfica chegava mais uma vez a zeros ao intervalo nesta época.

O intervalo pareceu ter feito aos vitorianos que estiveram por cima no primeiro quarto de hora, criando duas boas oportunidades de golo que acabaram por passar ao lado.

Aos 60 minutos Bruno Lage começou a desistir da rotação que havia imposto no início do partido e colocou Rafa, um dos habituais titulares, em campo, tirando Jota. Quatro minutos depois foi a vez de Gabriel voltar ao relvado da Luz. O médio brasileiro entrou para o lugar de Samaris.

Apesar destas substituições o encontro mantinha-se muito morno depois do bom primeiro quarto de hora do Vitória de Guimarães. Tardavam a surgir grandes oportunidades e a falta de originalidade no último terço mantinha-se de parte a parte.

Contudo, a entrada de Rafa começava agora a mexer mais na partida. O extremo, conhecido por ser um desequilibrador nato, ia acelerando e até conseguiu “sacar” uma amarelo a Sacko numa das suas famosas arrancadas ao minuto 75.

Ao minuto 81 foi a vez de Raúl de Tomás entrar para o lugar de Caio Lucas. O avançado espanhol, que havia começado pela primeira vez no banco, tentava acabar com a sua maior seca de golos da carreira.

Apenas quatro minutos depois, Tomás Tavares fez uma arrancada incrível, conseguindo fintar Hanin já na linha lateral. O jovem defesa encarnado cruzou rasteiro e não fosse um grande corte de Venâncio, Rafa teria mesmo feito o primeiro da partida.

Nos últimos dez minutos do encontro (a contar com os três minutos de descontos dados por Rui Costa) pouco houve a acrescentar. Apesar de um cabeceamento de RdT que acabou fraco nas mãos de Douglas e um remate ao lado de Gedson, as águias não conseguiram desfazer o nulo. A rotação imposta por Bruno Lage neste jogo e as muitas oportunidades dadas neste jogo de menor intensidade resultaram em muita vontade encarnada de mostrar serviço, mas pouca assertividade. Benfica e Vitória de Guimarães saem da Luz com um ponto cada e terão mais duas jornadas para se qualificar para a próxima fase.

Fonte da Imagem: Notícias ao Minuto

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.

Deixe uma resposta