Um FC Porto jovem entra a vencer na Taça da Liga

O FC Porto venceu o Santa Clara pela margem mínima, num golo solitário apontado pelo jovem Diogo Leite. Três dias depois, os dois emblemas encontraram-se novamente e os dragões voltaram a vencer, desta feita, para a Taça da Liga no jogo inaugural do grupo D.

Os dois treinadores fizeram várias alterações nas suas formações, com especial destaque para Fábio Silva que conquistou o rótulo do jogador mais jovem de sempre dos azuis e brancos, a jogar como titular.

Fábio Silva depois de se tornar no futebolista mais novo de sempre a jogar pelo FC Porto em provas da UEFA, ao participar no triunfo sobre o Young Boys, esta noite assumiu-se como o mais jovem de sempre no onze inicial dos dragões.

Nos primeiros quarenta e cinco minutos, os dragões cedo causaram perigo, aos 3′ com um remate forte de Nakajima a obrigar o guardião André Ferreira a defesa apertada para canto. Os açorianos foram equilibrando a partida e mostraram muita organização defensiva e, ofensivamente estiveram em bom plano durante os vinte minutos iniciais, cabendo a Pineda, a melhor oportunidade à passagem do minuto onze, que de frente para Diogo Costa, desferiu um remate colocado a passar perto do poste esquerdo do jovem guardião portista.

Os dragões foram assumindo o jogo e revelaram disciplina tatica mostrando muita organização na construção e na criação do processo ofensivo, faltando alguma clarividência no momento da decisão. Mesmo com um plantel “novo”, as rotinas mostraram muito trabalho de treino e os ataques iam-se sucedendo até que, ao segundo minuto de compensação, surge o golo da partida com uma excelente acção de Nakajima que cruzou para o centro da área, e o defesa central Diogo Leite nas alturas, cabeceou de forma certeira para o fundo das redes no último lance da primeira parte.

Diogo Leite assinou o golo que deu os três pontos aos dragões

 

Os dragões iam justificando o resultado regressando aos balneários com uma posse de bola avassaladora (67% / 33%) e com mais pendor ofensivo, 22 ataques contra 8 dos forasteiros.

No regresso para a etapa complementar, os treinadores fizeram entrar o mesmo alinhamento com que saíram. Os pupilos de João Henriques não manifestaram capacidade ofensiva para fazer tremer o dragão. Os insulares fizeram bastantes faltas para travar a maior velocidade e criatividade portista, e não fora o pouco discernimento no momento de finalizar, e o resultado poderia ter sido mais dilatado, como foi o caso do remate de Soares, a passar junto ao ferro do guardião dos insulares, aos 75′.

João Henriques estava focado em pontuar no Estádio do Dragão e fez saltar do banco, três alterações que ainda assim, não intimidaram as rotinas e o sector defensivo dos homens da casa. Aos 60′ Ukra rendeu Alfredo Stephens; 68′ saiu Lincoln para dar entrada a Bruno Lamas  e aos 78′ Evouna entrou para o lugar de Lucas Marques.

De referir que aos 88 minutos, Fábio Cardoso, fez uma entrada muito dura sobre Romário Baró e o médio ficou no chão com enormes dificuldades, tendo de abandonar o relvado em maca. Entrou Luis Díaz para o seu lugar. Sérgio Conceição já tinha feito duas alterações, aso 75′ saiu o japonês Nakajima para entrar Otavinho e aos 84′ Zé Luís rendeu Tiquinho.

O FC Porto assume a liderança do Grupo D. O outro jogo do grupo que colocará frente a frente o Casa Pia ao Desportivo de Chaves, disputar-se-à 16 de novembro.

 

 

 

 

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e por futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os "artistas" brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....

Deixe uma resposta