Quem te viu e Quem te vê: Jonhatan Urreta

No “Quem te viu e Quem te vê” desta semana recordamos Jonathan Urreta, eterna promessa do Benfica, mas que ficará recordado como um dos grande flops do início de século encarnado. Por onde andará agora o extremo uruguaio?

Estávamos na época 2008/2009 e o Benfica anunciava cinco contratações com o intuito de fazer frente ao FC Porto, que dominava o futebol português a seu belo prazer. Uma delas recaía num miúdo de 19 anos proveninente do Uruguai. Com apenas meia época de sénior realizada ao serviço do River Plate de Montevideo, os encarnados desembolsaram 1,26 milhões por Jonathan Urreta.

A esperança em Urreta era muita. Era jovem, tinha bastante potencial e chegou com o intuito de ir crescendo aos poucos e fazer concorrência a Di Maria e Reyes. Na primeira temporada, o extremo realizou 17 jogos pelas águias, mas não convenceu. Marcou apenas um golo nesse período.

Em 2009/2010 Jorge Jesus assume o comando do Benfica e aí as oportunidades de Urreta desvaneceram. O jovem não tinha espaço no plantel e, em Janeiro de 2010, foi emprestado ao Peñarol, iniciando uma senda de 4 empréstimos consecutivos.

Com Jorge Jesus, as oportunidades foram sempre escassas.

Em 2 anos e meio de cedências sucessivas, Urreta passou um ano no Peñarol (dividido em duas passagens), seis meses no Deportivo da Coruña e um ano no Vitória SC. Em nenhum destes clubes o jogador conseguiu demonstrar os predicados que levaram o Benfica a apostar nele em 2008.

Ainda voltou ao Benfica e entre 2012 e 2014 esteve a rodar entre a equipa A e a equipa B. Somou 8 partidas durante este período de tempo, mas nunca conseguiu convencer Jorge Jesus. O técnico nunca foi conhecido pela sua aposta nos jovens e Urreta foi um dos que mais sofreu com a falta de oportunidades dada pelo treinador português.

A rescisão definitiva com o Benfica aconteceu em setembro de 2014 e o Paços de Ferreira foi o que se seguiu na carreira do jogador. Depois de meia época sem sucesso nos castores, o extremo é emprestado novamente ao Peñarol antes de rumar ao México, onde relançou a sua carreira.

Estava visto que a Europa não era sítio para Urreta portanto, com 25 anos, o jogador tomou a decisão de abandonar o velho continente e rumar ao Pachuca. Em 2 temporadas ao serviço do clube, realizou 81 jogos e marcou 17 golos, mostrando o potencial que todos lhe reconheciam quando ainda representava o River de Montevideo.

Urreta representou o Uruguai no Mundial de 2018, na Rússia

Ao serviço do Pachuca, o jogador esteve presente no Mundial de Clubes de 2017 onde foi eleito terceiro melhor jogador da competição, apenas atrás de Ronaldo e Modric. Depois do Pachuca, Urreta transferiu-se para o Monterrey em 2017/2018, onde se mantém até hoje.

Urreta foi mais um daqueles que deixou uma mágoa por aquilo que podia ter sido e nunca foi. A tenra idade com que cá chegou, juntando à falta de oportunidades que teve como Jorge Jesus, fez com que o internacional uruguaio por 6 vezes nunca tenha alcançado o nível que todos esperavam que alcançasse.

Daniel Sousa

Nascido e criado na Ilha da Madeira e neste momento a estudar Ciências da Comunicação na FCSH. Com um gosto enorme pelo futebol e pela escrita, está sempre aberto a novos desafios.

Deixe uma resposta