Históricos: FC Porto 2-1 Benfica (2012/2013)

Na rubrica “Históricos” desta semana recordamos um dos clássicos. Mas não é um clássico qualquer. Iremos recordar um clássico que podia e decidiu um campeonato. Vamos recuar até à época de 2012/2013 e recordar o jogo que deixou uns muito contentes e outros muito tristes.

Dia 11 de maio de 2013 era o dia marcado para a 29ª jornada, que punha frente a frente Porto e Benfica no Dragão. O que ninguém esperava era que este encontro fosse ser de tal maneira decisivo. Basicamente quem ganhasse ficava com o campeonato. O clima que se vivia neste altura era de loucos. Sem dúvida que esta foi a partida que mais marcou o ano de 2013.

Antes de começar o jogo o Benfica estava à frente do FC Porto por dois pontos, e um empate dava para a equipa encarnada. Mas Jorge Jesus não ia ao dragão para um empate com certeza. Ambas as equipas apresentavam craques, que estavam a explodir, em que muitos já estavam a ser observados por tubarões europeus, como era o caso de Jackson Martínez, James Rodríguez, Alex Sandro, Matic, Gaitan, entre outros. Podia dar para qualquer lado, a única certeza que toda a gente tinha era que este iria ser o jogo da época.

Estava tudo a postos e Pedro Proença dava o apito inicial. Qualquer das equipas estava confiante e tinha a vontade necessária para chegar ao golo. No entanto, o FC Porto foi o primeiro a ameaçar a baliza das águias e Jackson Martínez esteve perto de fazer o golo.

Apesar da grande vontade da equipa da casa, que precisava de ganhar a 100%, o Benfica adiantou-se no marcador. Salvio, aos 19 minutos, assumiu o lançamento lateral direto para a grande área do FC Porto e após um ressalto entre a defesa dos dragões, Garay remata, a bola sofre um desvio e Lima só teve de encostar. Estava feito o primeiro da partida, e a vida do FC Porto estava cada vez mais difícil.

No entanto, os azuis e brancos não baixaram os braços. Passados cerca de cinco minutos o FC Porto marcou. Após uma jogada de insistência, Varela cruzou e a bola desviou em Maxi Pereira para dentro da baliza de Artur. Estava feito o 1-1 e voltava tudo à estaca zero.

Continuava a pressão por parte do FC Porto e desta vez foi João Moutinho a tentar o golo. Do meio da rua, o meio-campista chutou do meio da rua mas Artur conseguiu defender o remate. Aos 35 minutos surge um lance duvidoso. De novo, o Benfica utilizou o lançamento lateral direto para criar perigo, e depois de a bola sair da grande área Lucho González levantou o pé e os jogadores do Benfica reclamaram falta, que se não era penalti dava livre muito perigoso. Contudo, Pedro Proença nada assinalou e mandou as duas equipas para os balneários.

Começava a segunda parte e o FC Porto continuava por cima. Varela procurou Jackson Martinez, mas o avançado não conseguiu chegar de novo à bola, e caso Artur não desviasse a bola, esta ia para dentro da baliza. Os próximos momentos no jogo foram claramente de bom futebol, onde qualquer uma das equipas podia sair com a vitória. Contudo os nervos falavam cada vez mais alto e os cartões começaram a surgir.

Estávamos nos últimos 10 minutos do jogo e ninguém conseguia ficar parado. Surge um livre perigoso para o Benfica e quem assume é Óscar Cardozo, que saltou do banco aos 73 minutos. Se não é o gigante Helton a chegar à bola, de certeza que era golo. Nesta altura, Vítor Pereira já tinha lançado Steven Defour, Kelvin, e agora vinha Liedson a jogo.

Aos 84 minutos James Rodríguez teve a oportunidade de resolver o jogo nos seus pés. Cara a Cara com Artur, James atirou ao poste. Estava tudo em desespero, o Benfica só esperava pelo apito final, e o Porto pela estrelinha da sorte. Chegámos aos descontos e a estrelinha chegou com eles. Kelvin toca para Liedson, o “levezinho” devolve para Kelvin, e com o pé esquerdo remata para o fundo das redes sem qualquer hipótese para Artur. Jorge Jesus nem queria acreditar e até se ajoelhou no relvado.

Os “92” minutos, que ainda hoje aterrorizam os benfiquistas, foram claramente um dos piores momentos que os adeptos encarnados viveram nos últimos tempos. Kelvin foi o homem do jogo e quem decidiu o campeonato. O Porto foi tricampeão, o Benfica acabou na tristeza e o Sporting fez a sua pior classificação de sempre (7º lugar).

João Marques

Nasci nos Açores, mais propriamente na Ilha Terceira. Actualmente estou a estudar Ciências da Comunicação na NOVA FCSH. O desporto nasceu comigo e a paixão pelas letras já vem desde tenra idade.

Deixe uma resposta