Vitória de Setúbal e Sporting em bate boca devido a adiamento do jogo

O Vitória de Setúbal e o Sporting estão num bate bocas devido à realização do encontro deste sábado. Sadinos queriam o adiamento devido a um surto de gripe que o plantel foi alvo, enquanto os leões mostraram indisponibilidade.

Sporting fala de calendário apertado

Os leões foram os primeiros a reagir ao pedido de adiamento dos sadinos, rejeitando-o esta sexta-feira, ao alegar sobrecarga no seu calendário.

“Os calendários de competições estão sobrecarregados e inviabilizam que o Sporting possa anuir ao pedido de adiamento da próxima jornada feito pelo Vitória Futebol Clube”, lê-se no comunicado do Sporting.

A turma de Alvalade afirmou “lamentar os casos clínicos que afetam o plantel do Vitória de Setúbal”, mas mostrou indisponibilidade para a nova data que tinha sido apontada pelo Vitória FC, que seria entre o dia 3 e 7 de fevereiro, altura em que serão disputados os  jogos da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, onde os leões não estarão inseridos.

A data indicada pelo Vitória como alternativa surge num momento em que o Sporting vem de um jogo em Braga, depois de receber o Benfica, jogar a ‘final four’ da Taça da Liga, em Braga, e receber o Marítimo (…). Posteriormente à data proposta, existe a receção ao Portimonense, seguida de uma deslocação ao terreno do Rio Ave. A semana seguinte será de competições europeias”, esclarece o Sporting.

Devido à experiência do Sporting em casos similares, e ainda sem conhecer com profundidade os casos clínicos noticiados, confiamos que até à hora do apito inicial, muitos dos casos dos jogadores do plantel do Vitória Futebol Clube serão solucionáveis, razão pela qual reiteramos a nossa vontade e disponibilidade para o jogo marcado para o próximo sábado”, conclui a turma verde e branca.

Vitória de Setúbal questiona integridade da prova

Por sua vez, o  Vitória de Setúbal emitiu esta sexta-feira um comunicado na qual crítica o Sporting pela sua decisão de mostrar indisponibilidade em adiar o encontro entre as duas equipas, a contar para a 16ª jornada, que será realizado este sábado.

Recorde-se que, tal como havia avançado O AMBIDESTRO, o clube setubalense havia pedido o adiamento da partida por o seu plantel ter sido alvo de um surto de gripe. Segundo o Vitória FC, devido a esse mesmo surto o clube “não realizará estágio” antes da visita a Alvalade. O Vitória de Setúbal considera que a realização da partida “significa colocar em causa a integridade da competição“.

Ao não anuir na justificada alteração do jogo em questão, o Sporting CP adota um procedimento disciplinarmente censurável pois tem por objetivo, única e exclusivamente, obrigar o Vitória FC a apresentar em campo uma equipa notoriamente inferiorizada, socorrendo-se de uma interpretação restritiva do Regulamento de Competições que não encontra tradução no verdadeiro espírito do legislador“, lê-se no comunicado.

Com a conduta vinda de referir e ao vir, agora, de forma hipócrita e cínica, disponibilizar o seu departamento médico, o Sporting CP mais confirma um procedimento e forma de estar que consubstancia uma violação grosseira dos princípios da boa fé que se impõem no relacionamento entre clubes, mas também uma violação dos deveres deontológicos entre profissionais da medicina, que, de resto, o Presidente do Sporting CP tão bem conhece“, acrescenta

O clube sadino considera que esta tomada de posição do Sporting representa “uma insofismável violação dos princípios gerais descritos no artigo 10.º dos Estatutos da Liga Portugal – a saber, o da legalidade, da igualdade, da ética, da lealdade, da verdade desportiva, da boa-fé, da colaboração mútua, da proteção do bom nome do futebol profissional, da transparência e da solidariedade entre os associados Liga“.

De notar que a turma sadina não treinou quinta e sexta-feira devido a este surto que afetou 14 dos seus jogadores, cerca de 90% do plantel. Devido a esta situação, os dirigentes do Vitória FC prometem “uma posição firme e intransigente” perante “uma violação regulamentar sem par e que em nada dignifica o futebol português“.

 

Fonte da Imagem: Global Images

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.