Crónica: Sporting derrota Setúbal desfalcado por virose

Os leões asseguraram os três pontos através de um bis do suspeito do costume e de um autogolo. Apesar de terem muitos jogadores de fora por doença, os sadinos deram bastante luta ao Sporting, marcando um golo e chegando até a ameaçar o empate. 

Começou no Estádio do Bonfim às 20.30, o jogo da 16ª jornada da liga portuguesa que colocou frente a frente o quarto classificado (Sporting) e o décimo classificado (Vitória de Setúbal). O juiz da partida foi Tiago Martins.

Este encontro estava envolvido em enorme polémica devido ao facto de os pedidos de adiamento do mesmo por parte do Setúbal terem sido recusados pelos leões. Os pedidos de recalendarização deviam-se à virose pela qual grande parte do plantel sadino passou.

Julio Velázquez, fruto das circunstâncias, viu-se obrigado a apresentar uma equipa inicial constituída por muitos jogadores pouco utilizados: Milton Raphael, Mano, Bruno Pires, João Meira, Anré Sousa, Leandro Vilela, Éber Bessa, Carlinhos, Zequinha, Hélder Guedes e Mathiola. Destaque ainda para o facto de o Vitória só ter conseguido apresentar um banco de suplentes com cinco elementos.

Jorge Silas fez duas alterações em relação ao onze inicial que perdeu com o Porto – o lesionado Acuña por Borja e o suspenso Doumbia por Battaglia. A equipa completa foi a seguinte: Luís Maximiano, Ristovski, Mathieu, Coates, Borja, Battaglia, Wendel, Bruno Fernandes, Bolasie, Vietto e Luiz Phellype.

A equipa da casa entrou melhor no jogo com subidas rápidas pelo meio-campo adversário. Contudo, com o passar do tempo, o Sporting foi-se impondo através do controlo da posse de bola. Ainda assim, esta não se traduziu num número elevado de oportunidades de golo e também os contra-ataques rápidos do Setúbal não geraram perigo para Luís Maximiano. O primeiro tempo terminou com apenas dois remates à baliza.

Aos 27 minutos, numa boa combinação, Wendel adiantou a bola para Bolasie que, de primeira, passou para Ristovski já na grande área. Este último fez um cruzamento/remate potente que, depois de embater em João Meira, entrou na baliza de Milton Raphael. O marcador foi assim inaugurado por um autogolo.

À passagem do minuto 32, Bruno Pires puxou a camisola de Bruno Fernandes na sua grande área defensiva, derrubando-o. Tiago Martins assinalou (e bem) grande penalidade. Após o compasso de espera habitual, aos 34 minutos, o capitão leonino converteu o remate da marca dos 11 metros com a sua “paradinha” característica. Milton Raphael ainda tocou na bola rematada rasteira para o seu lado esquerdo mas não conseguiu evitar o golo.

A fechar a primeira parte, Vietto recebeu a bola de Bruno Fernnandes e, de fora da área tentou bater o guardião da equipa da casa mas o remate saiu fraco e mal colocado, tendo este defendido confortavelmente.

A segunda parte foi um pouco mais animada que a primeira. A partida foi mais equilibrada e o Setúbal chegou a estar perto do empate. Contudo, as oportunidades de golo continuaram a ser poucas uma vez que o joogo foi muito disputado no meio-campo.

No 63º minuto, a muralha defensiva de Alvalade ficou muito mal na fotografia. Num primeiro momento, Mathieu perdeu a bola no seu meio campo para Leandro Vilela que a passou para Carlinhos que, ainda a alguns metros da grande área, desferiu um remate cheio de força que ainda tocou na barra e na ponta dos dedos do guarda-redes português antes de fazer abanar as redes leoninas. Ainda assim, Luís Maximiano podia ter feito melhor uma vez que a bola foi projetada para uma zona central da baliza.

Rafael Camacho, que tinha acabado de entrar para o lugar de Vietto, aos 68 minutos, recebeu a bola ainda distante da baliza adversária e progrediu no campo até ao lado esquerdo da grande área onde, apesar do ângulo apertado, arriscou o remate e obrigou Milton Raphael a fazer uma grande intervenção.

Grande oportunidade para o Setúbal aos 74 minutos. Na sequência de um canto, Carlinhos cruza da ala esquerda para Hélder Guedes que, no coração da área, cabeceia à barra da baliza do Sporing. Na recarga deste remate, o mesmo jogador voltou a cabecear mas desta vez para fora.

Aos 94 minutos, o Sporting matou o jogo. Após recuperação de bola por parte de Borja, Rafael Camacho, num grande lance individual, driblou do meio campo até à entrada da grande área sadina onde isolou Bruno Fernandes que não tremeu e bisou na partida.

Com este resultado o Sporting mantém-se em quarto lugar e o Setúbal pode ser ultrapassado pelo Marítimo e Gil Vicente caso estes vençam os seus jogos.

Simão Vitorino

Nasci e cresci em Vila Franca de Xira e estou atualmente a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação na faculdade NOVA FCSH com o objetivo de me tornar jornalista desportivo no futuro, profissão que une duas grandes paixões minhas - o futebol e a escrita.