Históricos: E a primeira foi para Setúbal

Em fim-de-semana de decisões na Taça da Liga, a rúbrica “Históricos” recorda a final da primeira edição da prova, realizada na temporada 2007/2008. Na altura, Sporting e Vitória FC foram os finalistas, com os sadinos a levantarem o troféu, após grandes penalidades.

A Taça da liga sempre foi o “parente pobre” das competições futebolísticas em Portugal. Desde a sua criação, os clubes e os adeptos vêem a mesma como algo secundário na sua agenda e apesar da evolução observada nos últimos anos, ainda está, de forma destacada, no terceiro lugar na hierarquia das provas portuguesas.

O ano de estreia do torneio não anteviu um futuro muito promissor. As assistências nos estádios eram muito baixas e a maior parte dos clubes em prova utilizou os jogadores com menor tempo de jogo nas restantes competições.

Porém, um troféu será sempre um troféu e quando chegou o dia da final, não houve espaço para poupanças. De um lado, o Sporting de Paulo Bento, claro favorito a vencer naquele dia. Do outro, o Vitória FC de Carlos Carvalhal, que, após eliminar Braga e Benfica, pretendia provocar outra surpresa e fazer história.

Os cerca de 30 mil espectadores que marcaram presença no Estádio do Algarve, nessa noite, assistiram a uma primeira parte com muito poucos motivos de interesse. Eduardo e Rui Patrício foram autênticos espectadores, durante a primeira metade. Apesar da falta de oportunidades, o Vitória de Setúbal era quem se encontrava melhor no jogo. Os homens de Carvalhal assumiram o controlo do meio-campo e não deixavam os leões jogar.

O jogo foi para intervalo com uma igualdade a zero. Nos instantes iniciais do segundo tempo, o Vitória dispôs de uma das melhores ocasiões do encontro. Através de um livre direto, Cláudio Pitbull atirou ao poste da baliza de Rui Patrício. Tal susto colocou em sentido a formação leonina que, após o mesmo, acordou para o jogo.

Os homens de Paulo Bento começaram a crescer na partida e a sua maior chance de golo surgiu ao minuto 63, quando uma jogada de Romagnoli e Vukcevic acabou com a bola a passar bem perto da baliza de Eduardo. Os treinadores começaram a fazer as suas substituições e a imagem que passavam era a de que ninguém queria perder.

O medo de sofrer um golo sobrepôs-se sempre à vontade de ganhar e o jogo, inevitavelmente, acabou por terminar empatado a zero. Seguiram-se as grandes penalidades e nisso, os sadinos acabaram por ser superiores.

No momento decisivo, Eduardo foi herói e parou os penaltis de Izmailov, Polga e Liedson. O Vitória FC venceu a lotaria por 3-2  e tornou-se na primeira equipa a levantar o troféu da Taça da Liga. O clube não mais voltaria a vencer a prova, enquanto que o Sporting conseguiu alcançar a glória por duas ocasiões.

 

Foto: Francisco Leong/AFP

Daniel Sousa

Nascido e criado na Ilha da Madeira e neste momento a estudar Ciências da Comunicação na FCSH. Com um gosto enorme pelo futebol e pela escrita, está sempre aberto a novos desafios.