Quem te viu e quem te vê: Éder Luís

Um “Quem te viu e quem te vê” que não é inocente. Foi notícia esta semana a saída de Francisco Oliveira do Benfica, ele é que era responsável pelo scouting dos encarnados no Brasil. O olheiro optou por se demitir por não estar de acordo com a mais recente política de contratações das águias no respetivo país, nomeadamente depois de Morato e Yoni González. Nos 14 anos que esteve ao serviço das águias foram muitas as sugestões, os alvos e os talentos observados. Uns vingaram na Luz como David Luiz e Ramires, outros nem tanto. Éder Luís insere-se nesse lote acompanhado por nomes como Bruno Cortez e Hermes, entre outros.


Chegou ao Benfica no mercado de inverno da época 2009/2010 com “pinta” de goleador e com as águias a desembolsarem quatro milhões de euros, que naturalmente tem um outro “valor” do que teria atualmente. Formado no Atlético Mineiro, o avançado brasileiro deu nas vistas em 2009 quando em 55 jogos registou 21 golos pelo “Galo”. Entrara no primeiro Benfica de Jorge Jesus que perseguia o título nacional e que competia na Liga Europa. Éder Luís vinha claramente para acrescentar e para competir com os que já lá estavam. Na altura, o Benfica tinha na frente nomes como Óscar Cardozo, Saviola, Mantorras e Nuno Gomes. De facto, uma competição que pode assustar os mais suscetíveis.

Ao todo, fez dez partidas nos poucos meses que habitou a Luz (apenas um a titular) e ainda conseguiu fazer o gosto ao pé. Foi contra o Leixões para o campeonato numa partida que acabou com a vitória dos encarnados por 4-0. A história do avançado brasileiro por Lisboa não passou daqui. Quatro milhões de euros que se traduziram em 375 minutos de águia ao peito, um empréstimo e um milhão e meio de euros de volta. Em 2012, regressou ao Brasil e nunca mais voltou para a Europa. Podemos quase dizer que foi uma espécie de Erasmus. Mas nem tudo foi mau. Ainda consta no seu currículo um Campeonato Português e uma Taça da Liga.

No Brasil, representou o Vasco da Gama, o Red Bull Brasil, o Ceará, o São Bento e o Guarani, sendo que foi no Vasco onde teve mais impacto. Pelo meio teve uma curta experiência na Arábia Saudita ao serviço do Al-Nasr.

E atualmente? Com 34 anos, Éder Luís está… sem clube. Começou a época no Guarani, equipa da Série B do Brasil, mas em 13 jogos não consegui fazer balançar as redes adversárias. Estará o fim da carreira ao virar da esquina? Em Portugal não deixou muitas saudades, mas nos últimos anos foi um habitué nos relvados do Brasileirão.

 

Ricardo Oliveira

Oriundo da mesma terra do melhor jogador do mundo, a paixão pelo futebol não podia ser maior. Licenciado em Ciências da Comunicação na FCSH, gosta de escrever e está sempre de braços abertos a novos projetos.