Leixões afirma não ter recebido qualquer quantia da transferência de Tapsoba

Paulo Lopo, presidente do Conselho de Administração da SAD do Leixões, confirmou esta segunda-feira ao jornal Record que a formação de Matosinhos ainda não recebeu nenhuma quantia relativa à transferência de Edmond Tapsoba do Vitória de Guimarães para o Bayern Leverkusen e que já fez queixa junto da Liga, FIFA e UEFA. Vitorianos já responderam em comunicado

Nas três queixas, pedimos coisas diferentes. Na FIFA e na UEFA, que possam penalizar o Vitória por falsas declarações e por não cumprimento do que estava acordado com o Leixões. Na Liga, pedimos um impedimento puro e duro, um impedimento de inscrever jogadores. Agora, pelas leis da FIFA, prestar falsas declarações pode levantar impedimentos de inscrição em provas da UEFA“, afirmou Paulo Lopo ao diário desportivo.

Esta discórdia entre os dois clubes do Norte de Portugal já não é, de resto, nova. O Leixões desde cedo reclama ter direito a 25% do passe do defesa internacional pela Burkina Faso, que ficou estabelecido no contrato do mesmo quando este abandonou Matosinhos e se transferiu para Guimarães a meio da época 2017/18. Nessa altura, o Vitória SC ficou com 50% do passe de Tapsoba.

Tapsoba assinou no último dia do mercado de inverno pelos alemães do Bayern Leverkusen, numa transferência cujo valor se fixou nos 18 milhões de euros. Ora, confirmando-se que o Leixões teria direito a 25% do valor desta transferência, estes teriam direito a 4,5 milhões de euros.

Contudo, o clube minhoto sempre representou um outro cenário, afirmando que apenas 5% do passe pertence ao Leixões, uma vez que terá acionado, em tempo útil, a opção de compra de mais 20% do passe do jogador, tendo gasto 1,5 milhões de euros.

De resto, esta opção foi, segundo a Liga NOS, devidamente comunicada, o que deixa o Vitória de Guimarães em posição confortável ao nível jurídico.

Apesar disso, o representante da SAD do Leixões afirma que o clube ainda nem sequer recebeu qualquer quantia referente a esses tais 5% do passe: “O primeiro proveito que o Vitória tira disto tudo é que recebeu o dinheiro na totalidade e ainda nos pagou rigorosamente nada. Não chegou dinheiro nenhum pelo negócio do Tapsoba. Os 20 por cento estão no TAD para apreciação. E sobre esse não há muito a dizer. Agora, os cinco por cento fazem parte do contrato e deviam estar já pagos e deviam ter sido referenciados como se não fossem do Vitória. No contrato, deviam ter colocado que havia terceiros envolvidos e não o fizeram“.

O Vitória SC não tardou em responder a estas acusações de Paulo Lopo e, num comunicado oficial publicado esta segunda-feira de manhã, garantiu estar “tranquilo” e afirmou ter cumprido “rigorosa e escrupulosamente os termos contratuais a que se encontrava adstrito“. Os vitorianos acusam ainda o dirigente da SAD do Leixões de não estar a par da realidade jurídica da situação.

Comunicado do Vitória de Guimarães:

Perante o teor das declarações do presidente do conselho de administração da Leixões Sport Clube – Futebol, SAD ao jornal Record, cuja razão de ser apenas se explica por alheamento obstinado da realidade, o Vitória Sport Clube entende dever prestar o devido esclarecimento.

Desde logo, importa assinalar que estamos certos de que o desfecho de qualquer queixa eventualmente apresentada pela Leixões SAD, a existir, será breve e não redundará em punição ou censura ao Vitória SC.

Por um lado, porque o Vitória SC cumpriu rigorosa e escrupulosamente os termos contratuais a que se encontrava adstrito, bem como os deveres e obrigações previstos na lei e na regulamentação desportiva aplicável. Aliás, se assim não fosse, decerto que não teria sido o Vitória SC a demandar judicialmente a Leixões SAD junto do TAD.

Por outro, porque o entendimento pugnado pelo presidente daquela sociedade desportiva, assente na circunstância de o Vitória SC ter negociado e transferido o jogador Edmond Tapsoba sem o envolvimento da Leixões SAD, apenas vem demonstrar que desconhece, em absoluto, as normas regulamentares emanadas pela FIFA e pela FPF sobre a influência de terceiros na política de transferências dos clubes.

Todavia, tamanha aleivosia, por não ser primária, não pode ser justificada pelo desespero nem legitimada pela ignorância, pelo que o Vitória SC não deixará de assumir as medidas de reação necessárias contra a sociedade desportiva em questão“.

 

Fonte da Imagem: O Jogo

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.