Luc Castaignos, o holandês que não deixa saudades em Alvalade

O jogador holandês era rotulado de craque após boas épocas ao serviço do FC Twente (época 2013/14, 31 jogos e 14 golos; época 2014/15, 35 jogos e 14 golos) e essas épocas valeram-lhe um passe diretamente para a Alemanha, mais precisamente para o Eintracht Frankfurt onde fez vários jogos apesar de não ter sido tão expressivo nos seus golos (21 jogos e cinco golos).

Apesar de uma época com menos golos e sabendo que o campeonato alemão pode ser teoricamente mais difícil que o português, os responsáveis leoninos trouxeram este jogador para Portugal, na altura com 23 anos. Com base nos bons resultados com o Wolfswinkel, este prometia pelo menos ser um suplente à altura de Bas Dost. O seu passe custou três milhões de euros em 2016 que era o seu valor na altura (dados do site transfermarket, hoje está avaliado em 550 mil euros segundo o mesmo site). Teve uma cláusula de 60 milhões de euros  que contava três épocas de contrato mais duas de opção.

Rapidamente se percebeu em Alvalade que este jogador não ia render o que lhe era prometido e a sua primeira época em Portugal não conseguiu ter impacto positivo (13 jogos oficiais pelos leões e zero golos). Seguiu-se um empréstimo ao país de origem na esperança que conseguisse voltar às boas exibições que tinha apresentado ao serviço do FC Twente e assim valorizar o seu valor. A verdade é que a forma não foi muito melhor e ao serviço do Vitesse não foi além de três golos em 36 jogos.

Com o abalo que houve no Sporting em 2018 que levou à destituição da direcção leonina, o jogador regressou de empréstimo enquanto não se sabia que equipa é que o Sporting teria. Com José Peseiro a tentar segurar as pontas, o jogador fez quatro jogos oficiais, mas sem golos novamente.

Seguiu-se Marcel Keizer e o facto de jogador e treinador partilharem a mesma nacionalidade podia talvez ajudar o jogador a manter-se em Portugal, mas nem por isso teve hipóteses.

Chegado a janeiro, muitas notícias davam conta que as duas épocas de opção não iam ser ativadas e podia seguir-se um empréstimo até final do contrato ou a sua rescisão.

O jogador acabou mesmo por sair após ter tudo acordado com o Sion para o seu empréstimo e esta rescisão permitiu a Castaignos um mês depois estar a jogar noutro continente.

Foi na Ásia, mais propriamente na Coreia do Sul, onde ingressou no Gyeongnam FC (clube que tinha sido vice-campeão na época transata). Um mês depois começou a competição da K-League 1 e o jogador, na sua época de estreia fez 25 jogos e marcou quatro golos. Nesta segunda época o jogador de 27 anos ainda não conseguiu jogar devido ao adiamento da prova por causa do vírus (a prova devia ter tido início a 21/03/2020).

De talento na Holanda e futuro substituto de Bas Dost em Alvalade, Luc Castaignos não cumpriu com as expectativas que existiam sobre o seu talento e acabou por ir caindo no esquecimento e para ligas menores. É um caso para dizer “Quem te viu e quem te vê, Lus Castaignos.

João Estanislau

Com uma licenciatura em Comunicação Empresarial pelo ISCEM e duas pós-graduações em Gestão e Marketing do Desporto pelo INDEG-ISCTE e Director Técnico Desportivo pela a Universidade Europeia, trabalhei recentemente para o jornal online Leonino.pt. Participo ainda no programa Overlappings e Basculações, no canal de Youtube Vamos Falar de Futebol 10, todas as terças-feiras, a partir das 21h00. Sempre ligado ao futebol e à comunicação, pretendo partilhar contigo a minha visão do desporto rei. Fica atento!