PSG e Chelsea na luta por Alex Telles

Com a obrigação do FC Porto vender neste próximo mercado de verão, o lateral Alex Telles continua a ser dos jogadores mais cobiçados por tubarões europeus e, desta feita, é o PSG e o Chelsea quem surge na linha da frente da corrida pelo brasileiro.

O namoro dos campeões franceses com o lateral já não é, de todo, novo, visto que há dois anos estes já haviam tentado a sua contratação. Contudo, o negócio na altura acabou por não avançar por os parisienses terem preferido a contratação de Alex Sandro – que também acabou por não acontecer.

Agora, escreve esta sexta-feira o diário desportivo Record, o cenário mudou e o diretor desportivo do PSG, Leonardo, considerará que Alex Telles tem o perfil certo para substituir Layvin Kurzawa, que está em fim de contrato.

Além disso, o facto de Pini Zahavi ser agora o representante do lateral dos dragões poderá facilitar a transferência, visto este ter boas relações com os milionários de Paris – esteve envolvido nas transferências de outros craques como Neymar.

No entanto, a turma de Neymar e Mbappé não está sozinha e há outro “namoro” antigo no horizonte. Segundo avança A BOLA esta sexta-feira, o Chelsea é mesmo o candidato mais forte a garantir o internacional canarinho.

Tal como o PSG, também o interesse dos blues não é de agora, mas terá-se intensificado nos últimos tempos, após a equipa comandada por Frank Lampard ter desistido da contratação de Ben Chilwell, lateral inglês do Leicester City.

Alex Telles tem contrato com o FC Porto até 2021, pelo que se prepara para cumprir a sua última temporada de dragão ao peito. Perante isso e a obrigação de encaixar 100 milhões de euros em vendas de jogadores no próximo mercado de verão, a direção portista vê-se na obrigação de deixa o jogador sair, sendo este dos que tem maior valorização de mercado no balneário azul e branco.

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.