“Sonhar não custa…..o resto é o meu trabalho”

Bilhete de Identidade

Nome: Guilherme Roma

Data de nascimento: 2005-01-31 (15 anos)
Nacionalidade: Português
Posição: Avançado

 

O meu convidado de hoje é um menino de 15 anos, movido pela paixão futebolística e que tem no seu horizonte, ser jogador profissional de futebol. No seu curto trajecto desportivo, tem passagens por dois emblemas (FC Alverca e UD Vilafranquense). Clubes pelos quais nutre um carinho especial e considera fulcrais pelo processo de aprendizagem. Além dos atributos técnicos que o caraterizam, tem na sua capacidade de resiliência uma arma de peso. Esta época desportiva envergou a camisola do FC Alverca onde cumpriu jogos em dois escalões, tendo assinado perto de dez golos.

 

Vamos dividir esta entrevista em quatro momentos onde iremos abordar os teus primeiros passos no futebol, falaremos da presente época que foi forçada a terminar sem chegar ao fim, depois vamos falar das tuas expectativas para o futuro e no final, far-te-ei perguntas de resposta rápida. 

 

AMBIDESTRO: Roma  tens seis anos de futebol, como surgiu o interesse ? Frequentaste alguma escola de formação ?

Roma: O interesse surgiu porque desde pequeno que andava sempre agarrado a bolas e dizia que queria ser jogador de futebol. Sim frequentei a escola de futebol Geração Benfica, em Alverca.

AMBIDESTRO: Sei que és familiar do guarda-redes internacional português, Pedro Roma, ele teve alguma influência no teu interesse pelo futebol ?

Roma: Sim. Acompanhei-o sempre, foi e é para mim, uma referência desportiva. Gosto muito dele porque é um excelente profissional e foi um dos melhores guarda-redes da sua geração.

AMBIDESTRO: A tua ainda curta prestação no futebol tem tido maior foco no FC Alverca, essa opção prende-se com o facto de residires perto ou foi uma hipótese que surgiu naturalmente ?

Roma: Ambas porque vivo em Alverca e fui crescendo naturalmente nos diversos escalões do clube.

AMBIDESTRO: Nessa ocasião já tinhas decidido ser avançado ou foi alguma orientação de algum mister que te treinou ?

Roma: Todos os misters que me treinaram sempre acharam que o meu lugar era de ponta de lança com acções muito móveis, mas também foram unanimes em considerar que me adaptaria também a jogar na posição 10 ou como extremo, em ambos os corredores, e acabei por me ir moldando em função dos interesses dos misters para cada jogo.

AMBIDESTRO: No curto tempo de chuteiras nos pés, qual o melhor momento que guardas ?

Roma: No futebol clube de Alverca no primeiro ano de “futebol 11” fiz muitos jogos e no final dessa época, fomos fazer o Torneio Internacional – Douro Cup, onde marquei nos quartos-de-final, na meia-final e na final e o facto de termos saído como campeões, encheu-me de orgulho . No União Vilafranquense fiz uma época espetacular, apesar de ser um clube rival, receberam-me muito bem e fui super influente na manobra ofensiva da equipa. Fizemos um campeonato fantástico, participámos no “Iber Cup”, onde conseguimos o 5º lugar, depois de ter jogado com clubes como a Juventus…..outro torneio que me deixou muito feliz foi a conquista do “Aveiro Cup”.

 

Roma ao serviço do UD Vilafranquense (2018/19), tenta fugir ao italiano da Juventus no torneio Ibercup

 

Roma vamos prosseguindo e avançamos para a presente época desportiva e para o actual momento que vivemos:

 

Esta temporada foi aposta do mister Gonçalo Toste (na foto), para regressar ao FC Alverca

 

AMBIDESTRO: És um jovem menino, e apesar de o futebol te ocupar muitos e bons momentos no teu dia-a .dia, o contexto familiar é certamente um pilar fulcral no teu desenvolvimento. Como é que os teus pais encaram este teu trajecto e foco no futebol ?

Roma: O pai e a mãe são pessoas muito sensatas e ponderadas, passam-me os melhores ensinamentos para trabalhar com humildade, com crer e crença. Dizem-me muitas vezes que me apoiam em tudo e que o objetivo é trabalhar porque esse é da minha responsabilidade, o ter talento de nada serve se não tiver os restantes aspectos e sem eles, não conseguirei vencer no mundo da bola. Muita vezes dizem-me que a disciplina, a educação e o respeito ao próximo, são a base fundamental para o sucesso.

AMBIDESTRO: É inevitável falarmos do actual momento que vivemos de pleno confinamento social e que condiciona a nossa liberdade. Neste contexto, como é a preparação de um atleta de 15 anos para o regresso à competição ? 

Roma: Independentemente do que se está a passar, tenho um foco que é estar apto assim que se iniciarem os treinos e para isso, preparo-me todos os dias com treinos em casa e vou diariamente correr uma média de cinco quilómetros. Sigo à risca um plano de treinos para que consiga estar ao mais alto nível.

AMBIDESTRO: Esta época desportiva chegaste quase a uma dezena de golos, ficaste certamente com um sabor amargo pelo facto de o campeonato não ter terminado, e nesse particular, acredito que a ansiedade impere. Tem sido fácil gerir essas emoções ? 

Roma: Nunca é fácil pois o que eu quero é jogar, marcar golos e estar junto da minha equipa mas pelo motivo tão grave que vivemos, resta-me compreender e ir treinando em casa…

AMBIDESTRO: Antes desta situação que assola todo o mundo, como era habitualmente o teu dia-a-dia durante a semana ?

Roma: Tenho escola de manhã e á tarde, o que me ocupa uma grande parte do meu dia, e á noite tenho quatro treinos por semana, jogo ao fim-de-semana e depois tento descansar o máximo possível e gerir o tempo com os trabalhos da escola.

AMBIDESTRO: Como te defines enquanto jogador?

Roma: Gosto de jogar a ponta de lança. Sinto-me mais confortável em ter a bola no pé, gosto de vir buscar jogo e gosto de jogar solto, sou raçudo tecnicamente sem nunca virar as costas ao lance, compreendo facilmente o jogo e sou um jogador que gosta de fazer golo mas nunca ignoro o trabalho em equipa.

AMBIDESTRO: Pelos plantéis por onde tens passado, tens sido muitas vezes o capitão de equipa, além do conhecido reconhecimento pelos teus colegas, essa distinção também se enquadra pelas tuas caracterirticas pessoais ? 

Roma: Penso que sim, sou um jogador que me adapto facilmente aos colegas novos tanto pela minha forma de ser, como pelo meu trabalho, é gratificante ser reconhecido e ainda mais por esses factos.

AMBIDESTRO: Esta temporada marcaste presença em dois escalões, se num ganhaste a experiência e visibilidade de jogares num campeonato nacional, no outro, a “endurance” de esgrimir argumentos com jogadores mais velhos. Como encaraste esta situação?

Roma: Encarei duma forma normal com a máxima humildade e empenho, prova disso mesmo é que nos jogos que fiz no campeonato nacional fui um elemento chave, e no campeonato de juvenis continuei a ser preponderante no desempenho do colectivo, tendo marcado bastantes golos. Foi uma época de grande aprendizagem e evolução.

 

Roma a esgrimir argumentos com o capitão leonino Carlos Santos

 

Na próxima época cumprirás o primeiro ano de juvenil, sabendo que será uma mudança significativa nas dinâmicas e na intensidade do jogo, importa estar bem fisicamente assim como, forte  mentalmente para a adaptação a uma nova exigência. Sei que és ambicioso, o que aliás, é normal para um miúdo da tua idade e que estás repleto de sonhos sendo que, o futebol faz parte do teu horizonte. Vamos perceber o que tens projectado para o “futuro”….. 

 

AMBIDESTRO: Sei que tens sido abordado por alguns clubes, o futuro passa pela saída do Futebol Clube de Alverca ?

Roma: A saída passa certamente pelo Futebol Clube de Alverca, sei que têm surgido alguns clubes interessados e que muito agradeço, actualmente estou focado em continuar a trabalhar e o futuro com calma se verá. Sou acompanhado pelo meu representante legal em que confio plenamente e irei certamente, jogar com todo o empenho para onde achar melhor, tanto para mim, como para o clube.

AMBIDESTRO: Disseste-me que estás ciente do caminho a percorrer e das dificuldades que isso acarreta. Qual o sonho que te preenche a mente no capitulo desportivo?

Roma: Eu ambiciono ser jogador profissional e vou tentar aliar sempre com os estudos que confesso que será sempre o meu grande adversário….. mas o meu foco é sem dúvida alguma,  ser um jogador de referência, sonhar não custa….. o resto é o meu trabalho…..

 

Roma estamos quase a terminar….Vou fazer-te agora uma série de perguntas que gostava que respondesses como se tivesses perante uma grande penalidade e tivesses que decidir rápido….

 

Fora das quatro linhas

Prato favorito – Entremeada Grelhada

Música preferida – País do Futebol

Filme favorito – Rocky Balboa

Tempos livres – PS4

Jogador que mais admiras – Cristiano Ronaldo

Treinador que mais te marcou – O mister Gonçalo Toste pela aprendizagem a nível técnica e o mister João Rosa pelos ensinamentos no  espirito de grupo

Melhor jogador de sempre – Cristiano Ronaldo

 

Por agora o momento é de pausa, na certeza porém de que em breve…vão regressar ao seu habitat…..

 

Roma estou ciente que o trabalho a desenvolver e o caminho a percorrer ainda é longo, ainda assim, nunca deixes que te roubem os sonhos e acredita em ti e no teu valor, sem menosprezares os ensinamentos que vais vivenciado de modo a poderes estar mais apto para os momentos que se seguem….

Foi um gosto ter partilhado a tua história com os nossos leitores, em meu nome e em nome da equipa do Ambidestro, muito obrigado e votos das maiores felicidades pessoais e obviamente, desportivas.

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e dela, faz parte o futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os artistas brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....