“O objetivo é que o treinador esteja seguro para colocar o jogador identificado a jogar”

O chefe do scouting do SL Benfica, Pedro Ferreira, deu a conhecer como funciona o departamento e a forma como são identificados e validados os potenciais jogadores das águias. O numero um do recrutamento da equipa da Luz, chegou à estrutura do clube, em 2019.

Em conversa com Rui Pedro Silva, transmitida pelo canal de YouTube “Vamos Falar de Futebol”, adiantou que: “Cada scout é responsável pelos respetivos mercados, avalia, identifica e sinaliza os melhores jogadores”

O Chief Scout iniciou a conversa vincando que: “Não existem bolas de cristal e nós (departamento de scouting), temos de tentar ser as bolas de cristal”

Pedro Ferreira deixou claro que os jogadores referenciados não chegam apenas por via dos scouts, e que recebe jogadores referenciados pelo presidente, por Rui Costa e por Tiago Pinto.

No processo evolutivo da análise, o mesmo jogador referenciado passa por diversas observações, feitas por diferentes scouts: “Depois de identificar os que mais se destacam nas posições em cada mercado, passamos a um modelo partilhado. Os scouts vão todos avaliar os jogadores uns dos outros. Depois de termos jogadores vistos e revistos por todos, de terem passado todos os filtros, cabe-me criar uma equipa sombra com vários por posição”

O departamento está em constante mutação e nos diversos escalões tem de estar apto a servir os interesses de cada departamento técnico: “Alguém nos diz que naquele momento precisamos de um lateral com estas características.’ Vemos quais os identificados na equipa sombra e aqueles que vão ao encontro do que a equipa técnica quer. A partir daí é interagir com a equipa técnica e com o departamento de análise de adversários e decidir quais são os três ou quatro alvos que podemos avançar”

Pedro Ferreira salientou a base de confiança que os treinadores têm de ter no departamento, de modo a poderem responder de forma imediata sempre que seja necessário e urgente colmatar uma determinada posição em que equipa o escalão for: “O objetivo é que «o treinador, o cliente final, esteja seguro para colocar o jogador identificado a jogar, especialmente quando o objetivo é imediato,  o jogador tem sempre de ir ao encontro do que o treinador quer, das características que precisa nesse momento”

 

 

 

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e por futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os "artistas" brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....