Plata: “Estive perto do Barcelona, mas apareceu o Sporting”

Gonzalo Plata, jovem extremo equatoriano do Sporting, concebeu uma entrevista ao programa ‘Fanático‘, do seu país, onde recordou os primeiros dias em Portugal e confessou ter estado perto de rumar ao Barcelona.

Quando cheguei a Portugal foi muito difícil para mim. No dia a seguir já estava a pensar em voltar ao Equador, porque me sentia mal. Não tinha confiança, não tinha os meus amigos. Pensava que ia ser igual a quando estive no Independiente. Os primeiros meses foram muito duros porque estava sozinho, ainda não estava cá o meu irmão. Com o tempo fui-me habituando, conheci os meus colegas aqui no Sporting, senti-me mais tranquilo e tive mais contacto com as pessoas do clube”, começou por dizer o jovem que vai na sua segunda temporada de leão ao peito.

Além de ter abordado os tempos iniciais difíceis, o internacional pelo Equador falou ainda do interesse que tinha na altura de outros clubes, como o Barcelona, e explicou o porquê da sua escolha: “Sim, estive muito perto de assinar pelo Barcelona. estive prestes a assinar, mas apareceu o Sporting, era mais favorável para a minha carreira, pela minha idade, ia ter mais minutos. Mas claro que jogar com treinar com aqueles craques do Barça seria algo espetacular. Ir para a B do Barcelona? Tenho a capacidade para ganhar um lugar, mas claro que no Barcelona seria mais difícil que em qualquer outro clube”.

Já quanto ao presente, Plata tem vindo a ser associado a vários clubes da Premier League, mas deixou claro nessa entrevista não ter conhecimento de nada sobre o assunto. “Não sei o que há de verdade nisso. O meu empresário é que se encarrega de se mexer nesse sentido. Todos sonham com jogar na Premier League. Desde pequeno era a liga que mais via. Aqui em Portugal sinto-me bem e ainda me falta muito por dar”, concluiu o extremo.

Aos 19 anos, Gonzalo Plata está a cumprir a sua segunda temporada de leão ao peito, a primeira pela equipa principal, onde estava a ganhar cada vez mais espaço. Em 2019/20, o extremo equatoriano levava já 17 jogos e dois golos marcados.

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.