Andrés Iniesta considera carreira como treinador

Em entrevista ao diário Marca, Andrés Iniesta admitiu seguir a carreira de treinador, incentivado pelo amigo e ex-colega de equipa Xavi Hernández. No entanto, o espanhol considera pendurar as botas para lá de 2021, altura em que termina o seu contrato com o Vissel Kobe.

Depois de uma carreira recheada de sucessos no Barcelona e na Seleção Espanhola, Andrés Iniesta cumpre os últimos suspiros enquanto futebolista no Japão. E já pensa no pós-carreira. O médio natural de Albacete dedica-se há vários anos ao cultivo e comercialização de vinhos em Espanha e abre a possibilidade de se manter no futebol como treinador.

“Vamos ver. Ainda tenho muito tempo para me sentar no banco. Quando for treinador, certamente vou ver as coisas de forma diferente. Mas vamos ver o que acontece. Para já temos que esperar”, afirmou Iniesta.

Xavi Hernández tem desafiado o amigo para seguir as suas pisadas. Será que voltaremos a vê-los em dupla não no relvado, mas sim no banco de suplentes? Xavi treina o Al-Saad, da Arábia Saudita, e já rejeitou uma mudança para o Barcelona, dizendo que a proposta que recebeu da direção culé foi “precipitada”. Iniesta fala com ele sobre essa nova função:

“Eu ainda falo muito com ele [Xavi], incluindo sobre vir a ser treinador. Caminho que, obviamente, me tem encorajado a seguir, nem que seja para perceber se é esse o caminho que quero seguir”.

O cargo de treinador seduz Andrés Iniesta, quase tanto quanto o seu futebol seduz os amantes da modalidade. O contrato com Vissel Kobe termina em 2021, quando tiver 36 anos, mas não exclui uma renovação.

“Queremos jogar de novo e deixar todos felizes. Veremos mais tarde. Esta pausa dá-me força para tentar extender a minha carreira, mas neste momento a única coisa em que pensamos é ultrapassar esta situação complicada”, disse.

David Silva

Contar a minha história é falar de futebol. Primeiro, a paixão. Depois, a prática. Em seguida, uma deslocação de 71km entre a Lourinhã e a NOVA/FCSH, onde concluí o curso de Ciências da Comunicação, em 2019. Pelo meio, nove meses de estágio memoráveis no Canal 11, na Cidade do Futebol. E por fim, a paixão. Sempre.