“Sei bem o que dói querer colocar pão na mesa e não o conseguir”

O presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), Luciano Gonçalves, escreveu uma carta aberta onde dá a conhecer a realidade devastadora que alguns árbitros estão a passar.

O dirigente salientou o facto de muitos árbitros que vivem apenas dos rendimentos do futebol, estarem a viver momentos de cariz financeiro extremamente difíceis, e nesse sentido, fez saber que o seu vencimento do mês de abril será doado na totalidade, com o intuito  de ajudar esses elementos mais carenciados: “Por saber que a nossa Associação não pode ajudar e sentido-me impotente quando falo diretamente com quem mais precisa, tenho-me sentido na obrigação de ajudar financeiramente alguns colegas na compra de bens alimentares, informando que a totalidade do meu vencimento do mês de Abril será destinado à aquisição de bens alimentares que irão compor cabazes que serão oferecidos aos nossos colegas que mais precisam neste momento. Como disse anteriormente, não o faço com qualquer intuito ou aproveitamento, faço-o pois sei bem o que dói querer colocar pão na mesa e não o conseguir”

O numero um da APAF adiantou ainda que, já recebeu telefonemas que o deixaram preocupado e ainda mais sensibilizado, para ter tomado tal atitude: “Presidente, temo não ter comida para por na mesa dos meus filhos”, salientou  -, sendo que os esforços da APAF estão a ser coordenados também com o Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol. A nossa persistência, os nossos esforços e a vontade das instituições, incluindo o CA da FPF, começam a dar alguns frutos, a direção da FPF já solicitou à APAF um levantamento das dificuldades dos agentes de arbitragem dos quadros da FPF e a AAA está focada em encontrar uma solução que salvaguarde a necessidade dos árbitros sem colocar em risco a própria Associação”

 

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e por futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os "artistas" brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....